Vereadores têm direito a ‘diária refeição’, menos em Sumaré

Foto ILUSTRATIVA
As cidades da região, Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa e Sumaré, possuem políticas diferentes em uma questão que gerou polêmica em Americana recentemente, o direito a uma ‘diária refeição’ quando viajam em compromissos políticos. 
A polêmica envolveu o vereador Wellington Rezende (PRP), que gastou R$241 em um almoço em Nova Odessa, para ele, um assessor e o motorista. Ele ficou fora da cidade por quatro horas.
AMERICANA: As regras que definem o assunto são claras. Diária de R$130 por pessoa em qualquer viagem fora de Americana, independente da distância e o tempo de duração do compromisso. 
SANTA BÁRBARA D’OESTE: Mais rígida. O vereador – e assessor – barbarense tem uma diária de R$100, porém só é válida para viagens a mais de 40km de SB e se o compromisso durar mais de 4 horas. Além disso, o vereador tem descontado o valor em sua verba de gabinete e no caso do servidor, é descontado R$25 no vale-alimentação no fim do mês.  
NOVA ODESSA: A regra é por refeição. O vereador/servidor tem direito a R$70 reais por refeição + o café, ou seja, R$70 para café da manhã + almoço e mais R$70 para lanche da tarde + janta, se for o caso. Somando, a diária por pessoa é de R$140. Não há limite de distância. 
SUMAR??: Os vereadores/servidores não têm direito ao ‘vale’ e nem reembolso. Cada um paga sua conta por conta. Exceção para ‘missões oficiais’, que, segundo a assessoria da Câmara, são muito raras.  

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE