Vereador quer política pra ajudar ‘gordinhos’

O vereador Dr. Sérgio Rosa (PDT) protocolou na Secretaria da Câmara, na última segunda-feira (14), um Projeto de Lei que institui o Programa de Prevenção, Orientação e Tratamento da Obesidade em Sumaré. O programa tem como objetivo desenvolver ações de saúde que visem a prevenir, diagnosticar, tratar e combater a obesidade no município. Segundo o projeto, a coordenação ficará a cargo da Secretaria Municipal de Saúde, e dentre as ações do programa estão a promoção, a orientação e a conscientização da saúde alimentar, nutrição saudável e prevenção da obesidade, com palestras, painéis, dinâmicas de grupo e outras modalidades, a serem ministradas por profissionais qualificados. Devem fazer parte da equipe multidisciplinar nutricionistas, médicos, psicólogos e pedagogos, que serão incumbidos de preparar as futuras gerações para hábitos alimentares saudáveis e seus efeitos psicossomáticos. ???O Ministério da Saúde divulgou pesquisa que revela que quase metade da população brasileira está acima do peso. Segundo o estudo, 42,7% da população estavam acima do peso no ano de 2006. Em 2011, esse número passou para 48,5%. Não existem dados concretos publicados sobre os custos diretos e indiretos relacionados à obesidade e suas complicações, mas se sabe que são altíssimos, e tendem a ficar ainda maiores. Assim, seja por necessidade de ações de saúde, seja por enfoque de mercado ou por ação de gestão econômica de recursos, faz-se necessário um rol de ações interligadas visando assumir a solução desse problema???, justifica o vereador. O Programa de Prevenção, Orientação e Tratamento da Obesidade pretende estimular a prática de exercício regular, a alimentação saudável e o controle da pressão arterial. Além disso, propõe o desenvolvimento de programas de educação física, esporte e ginástica para a população, e a promoção de campanhas publicitárias institucionais, seminários, palestras e cursos teóricos e práticos relacionados ao controle da obesidade. A propositura prevê ainda a criação de projetos clínicos com pesquisas e enfoques regionais, adaptados às situações epidemiológicas, econômicas e culturais. Deve haver também o acompanhamento e a avaliação trimestral do programa, propondo modificações e melhorias sempre que necessário. O PL autoriza o Poder Executivo a firmar parcerias, intercâmbios e convênios com organizações não governamentais, empresas, laboratórios, indústrias farmacêuticas, universidades e órgãos federais, estaduais ou municipais, que procurem viabilizar a infraestrutura necessária para a implantação do Programa de Prevenção, Orientação e Tratamento da Obesidade.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE