Vôlei Campinas vai ser Renata

O projeto de vôlei em Campinas começa com tudo na temporada 2017/2018 e comemora a chegada de novos parceiros. A grande novidade do time campineiro é o nome: Vôlei Renata. A mudança se dá por conta da entrada do novo patrocinador máster, a Selmi, uma das maiores indústrias de alimentos do país, detentora das marcas Renata e Galo, que, agora, empresta o nome Renata. A empresa chega para ocupar o lugar da Brasil Kirin, que contribuiu para que a equipe alcançasse nove pódios, seis finais, incluindo a Superliga 2015/2016, nos últimos quatro anos. 
“Para nós da Selmi, é muito importante apoiarmos o esporte brasileiro. Já temos um projeto muito interessante com o time feminino de Valinhos e, agora, queremos ampliar para o voleibol masculino. Acreditamos muito no sucesso do trabalho realizado por eles e temos certeza que continuaremos a conquistar ótimos resultados juntos”, destaca Ricardo Selmi, presidente da empresa.
“A continuidade de um projeto consistente e vencedor como esse é a prova de que o esporte, quando gerido com seriedade e profissionalismo, sempre contará com o apoio de grandes empresas. Ver a equipe iniciar sua oitava temporada só nos enche ainda mais de orgulho e confiança”, declarou Luiz Fernando Ferreira, Diretor Geral da ESM, empresa de marketing esportivo responsável pela criação e gestão do projeto.
A Selmi, no entanto, não será a única novidade entre os parceiros da equipe. Faculdades Anhanguera e CDE – Diagnóstico por Imagem se juntam ao quadro para a temporada. Além deles, a ESM também confirmou a permanência no projeto de MRV Engenharia, Supermercados Pague Menos, Unimed Campinas e  Sanasa, além da manutenção do apoio da Prefeitura de Campinas. “Construímos uma linda história e não vamos parar. Já estamos com o time bem encaminhado, com reforços qualificados para engrandecer ainda mais a equipe, o que nos deixa bem ansiosos e empolgamos para temporada que vem pela frente”, afirmou o bicampeão olímpico Maurício Lima, um dos embaixadores do projeto.
“Agradecemos por todo o carinho que recebemos nos últimos anos e pelo apoio incondicional que tivemos, não só no aspecto financeiro. As empresas sempre acreditaram em nossas convicções e caminharam ao nosso lado durante todo esse tempo. Agora chegou um novo momento, uma nova etapa, na qual recebemos novos parceiros. Estamos bastante animados e confiantes para seguir fazendo um bom trabalho”, completou André Heller, coordenador técnico e embaixador da equipe.
O PROJETO – O projeto do vôlei masculino em Campinas foi criado pela ESM em 2010, recolocando a cidade em evidência no cenário do voleibol brasileiro. Em suas três primeiras temporadas, contou com o patrocínio da Medley. Em 2013, a Brasil Kirin substituiu a farmacêutica como principal apoiadora. Desde então, a equipe campineira conquistou seus resultados mais expressivos, como o título da Copa São Paulo de 2014 e a medalha de prata na Copa do Brasil do mesmo ano. Na temporada 2015/2016, os campineiros subiram no pódio em todos os torneios que disputaram: vice na Copa São Paulo, vice na Copa do Brasil, terceiro no Campeonato Paulista e vice na Superliga. Além das conquistas dentro de quadra, os sete anos do projeto de vôlei em Campinas serviram para consolidar o modelo de gestão profissional implementado pela ESM, com ativação de marcas e produtos em jogos, ações com atletas em pontos de venda e relacionamento com funcionários em diversas unidades fabris dos patrocinadores. Outro pilar do projeto campineiro, a parte social sempre recebeu atenção especial da ESM e dos patrocinadores da equipe. O maior exemplo é o Instituto Compartilhar, que usa o vôlei como ferramenta educacional. São cinco unidades do projeto em escolas municipais de Itu e Campinas, beneficiando diretamente 600 crianças. Ainda, jogadores e embaixadores da equipe visitaram hospitais, ong’s de incentivo ao esporte e participaram de atividades voltadas à recuperação social em unidades prisionais, usando histórias do esporte como motivação para jovens em situação inóspita. Outra atividade marcante foi a participação do Dia das Crianças no Capão Redonda, em São Paulo, com doação de brinquedos e oficina de vôlei. Sede da equipe, o município de Campinas também foi bastante beneficiado com o projeto. Além de receber jogos dos mais importantes torneios do calendário nacional, a cidade bateu recorde de arrecadação pelo seu Banco de Alimento – nos últimos quatro anos, as doações de alimentos não perecíveis nos jogos do time campineiro tiveram um salto de 7.7 toneladas na temporada 2013/2014 para 18.5 toneladas em 2016/2017. O público acumulado nos jogos no período também mostra o crescimento da paixão pelo vôlei: 138.212 torcedores, média de 34.553 por temporada. A cidade ainda contou com personagens ligados ao projeto, como os campeões olímpicos Maurício Lima e André Heller e alguns jogadores, como ‘garotos propaganda’ de sua Campanha do Agasalho.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE