Alerta. Unicamp não aprovou nenhum produto que “mata” Covid

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) fez ontem um alerta contra a circulação de notícias que associam o nome da instituição a produtos que teriam o poder de “inativar” ou de “matar” a Covid-19. A universidade constatou, a partir de monitoramento próprio e também de denúncias feitas à Ouvidoria, que alguns veículos de imprensa da região, inclusive um de Americana, estavam divulgando notícias que tais produtos teriam recebido o “aval” da Unicamp para serem comercializados.

Em nota oficial, a Reitoria da Unicamp ressaltou que, apesar de terem sido realizados testes no campus, a universidade não participou do desenvolvimento dos produtos e, portanto, não há como comprovar a eficácia desses materiais. A instituição reforçou a proibição do uso da marca Unicamp e do seu logotipo em documentos, tecidos, plásticos, adesivos e impressos em geral, bem como em outros objetos não oficiais da Universidade, sem autorização, por escrito, da Reitoria.

Segue a íntegra da nota oficial:
“A Universidade Estadual de Campinas manifesta-se em relação às notícias divulgadas sobre produtos e equipamentos de ação virucida que mencionam uma avaliação realizada pela universidade.

Docentes e pesquisadores da Unicamp realizam diferentes ensaios de avaliação de produtos desenvolvidos por outras entidades. Tais serviços fazem parte do necessário retorno à sociedade por parte de uma universidade com responsabilidade social como a Unicamp. Para esses serviços, são utilizados a infraestrutura e o conhecimento de nossos profissionais para avaliar os efeitos sugeridos pelos fabricantes de diferentes produtos.

No contexto dos testes realizados com atividade virucida de produtos e equipamentos contra o novo coronavirus, amplamente divulgado pela imprensa, verificou-se a eficiência na inibição e inativação do vírus in vitro em ambiente controlado de laboratório. Não foi, no entanto, verificada a segurança para a saúde e o meio-ambiente, no caso de uso livre do produto em ambientes fora de um laboratório.

Para verificar essa segurança, outros tipos de testes seriam necessários, que não foram solicitados, de acordo com o conhecimento da Unicamp. A universidade também não participou do desenvolvimento do produto.

Considerando a utilização do nome da Unicamp, a resolução do Gabinete do Reitor 028/2004 estabelece que “Fica vedado o uso da marca Unicamp e do seu logotipo em papéis, documentos, tecidos, plásticos, adesivos e impressos em geral, bem como em outros objetos não oficiais da Universidade, sem autorização, por escrito, da Reitoria”.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE