Edit

Turma prefere marmita no trabalho

Uma pesquisa nacional encomendada pela VR Benefícios mostra como as pessoas pretendem cuidar da alimentação ao retornar aos escritórios. Foram feitas 2.481 entrevistas em todo o Brasil.

Segundo o levantamento, sobe de 47% para 54% o número de pessoas que vai levar marmita e cresce de 10% para 17% a quantidade de pessoas que vai pedir delivery na hora do almoço. Em contrapartida, as intenções de comer em restaurantes por quilo caem de 25% para 13%, provavelmente motivadas pela preocupação com a segurança.

Ao avaliar estes dados de acordo com a classe social, fica mais claro que o uso da marmita será maior entre as classes C/D/E (crescimento de 42% para 50%) e que a procura pelo delivery dobra nas classes A/B (5% para 11%).

“A pandemia acelerou alguns comportamentos que já tínhamos percebido, como o crescimento muito forte do e-commerce e do delivery como forma de resposta à crise”, explica Paulo Roberto Esteves Grigorovski, diretor executivo de Marketing e Serviços ao Trabalhador, da VR Benefícios. “Com o isolamento social, os estabelecimentos comerciais precisaram se reinventar para manter as vendas. Muitos ampliaram seus serviços de entrega em domicílio ou iniciaram o delivery, além de expandir a aceitação de cartões. Nossa rede credenciada nas plataformas de e-commerce, por exemplo, aumentou de 1.000 para mais de 51 mil estabelecimentos comerciais nos últimos meses”, conta o diretor.

Aliás, em relação aos meios de pagamento sem contato, 46% dos trabalhadores passaram a usar mais pagamentos sem contato por conta da pandemia. E 1 em cada 4 começaram a usar com a pandemia.

Culinária brasileira X refeições fitness e funcionais

A “Pesquisa VR Benefícios-Locomotiva” mostrou ainda que o brasileiro vai ampliar o consumo de saladas, refeições fitness e funcionais ao retornar ao escritório.

Antes da pandemia, os restaurantes mais frequentados na hora do almoço eram os de culinária brasileira (75%) e churrascarias (29%). Mas, quando questionados como vão consumir agora, 25% das pessoas disseram que vão optar por saladas, refeições fitness e funcionais e 48% disseram que vão consumir estes alimentos tanto quanto antes. E 10% vai procurar se alimentar de comida vegetariana e 27% vão continuar seguindo esta dieta como já faziam antes da pandemia.

Benefícios relacionados à alimentação têm sido essenciais nessa pandemia

Os benefícios relacionados à alimentação são considerados por 90% dos entrevistados como muito importantes.

A imensa maioria considera muito importante que os estabelecimentos comerciais – mercados, restaurantes, açougues, padarias, cafés e outros – aceitem os benefícios. Dos entrevistados, 96% dizem que consideram muito importante a aceitação do vale-alimentação e 93% do vale-refeição.

Quando a pesquisa indagou sobre a possibilidade de receber R﹩ 100 a mais como auxílio durante este período de pandemia, 60% dos entrevistados disseram que queriam que este valor estivesse relacionado à comida: 45% responderam que preferiam que fosse em vale-alimentação; 15% em vale-refeição; e 40% para contas de internet e luz.

“Este dado chama a atenção para a grande importância relativa da alimentação no contexto atual”, afirma Grigorovski.

Sobe o nível de exigência para os espaços de alimentação

A “Pesquisa VR Benefícios-Locomotiva” também identifica quais serão as maiores demandas dos trabalhadores para os espaços de refeição – sejam restaurantes por quilo, refeitórios das empresas ou outros locais – na hora do almoço. Quando perguntados sobre quais aspectos consideram mais importantes, eles respondem:

● intensificar a limpeza e a desinfecção do ambiente: 92%

● disponibilizar álcool em gel 70% de fácil acesso: 91%

● manter o ambiente mais aberto e ventilado: 88%

● instalação de mais barreiras físicas para proteger os equipamentos e a comida: 79%

● organizadores de fila que mantém distância entre os clientes: 78%

● usar mais meios de pagamento sem contato: 74%

Medição de temperatura, usar itens descartáveis e alternar os horários de atendimento são ações consideradas menos importantes pelos entrevistados e ficaram com 71%, 67% e 52% de avaliação, respectivamente.

Perfil da amostra

A “Pesquisa VR Benefícios-Locomotiva” é quantitativa e foi feita com trabalhadores(as) da base da VR Benefícios. Foram realizadas 2.481 entrevistas online, em todas as regiões do Brasil, no período de 11 de agosto a 1º de setembro de 2020.

Dos entrevistados, 51% são homens e 49% são mulheres, com idades acima de 18 anos:

● 25% – de 18 e 29 anos;

● 32% – 30 aos 39 anos;

● 25% – 40 a 49 anos;

● 18% – acima dos 50 anos.

Na divisão de classes, 30% são A/B; 52% são C e 18% são D/E. 35% possuem ensino superior completo, 50% têm ensino médio completo e 15% o fundamental completo.

Entre as regiões, 67% dos entrevistados estão localizados no sudeste, 15% no sul e 12% no nordeste. As regiões norte e centro-oeste somam 6%. A maioria das pessoas vive nas capitais (46%) e regiões metropolitanas (25%), enquanto 25% estão no interior e 5% no litoral.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE