Temer pode até resgatar Dilma, vê ‘Time’

da BBC.Brasil- Apenas um mês após o afastamento de Dilma Rousseff, uma sequência de “choques políticos” no governo interino de Michel Temer trouxe à tona a até então improvável possibilidade de retorno da presidente ao poder.
A avaliação é da revista americana Time, em reportagem assinada pelo correspondente no Rio de Janeiro Matt Sandy.
O texto enumera o que classifica como “crises” recentes do governo Temer: anúncio do ministério sem mulheres e negros, saída dos ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência), extinção (e recriação) do Ministério da Cultura.
O impacto mais recente, lembra a publicação, foi o pedido de prisão feito pelo Ministério Público Federal contra a cúpula do PMDB: Jucá, Renan Calheiros (presidente do Senado), Eduardo Cunha (presidente afastado da Câmara) e José Sarney (ex-senador e ex-presidente da República).
“Os desdobramentos conduzem à sugestão de que Rousseff talvez sobreviva ao voto final no Senado sobre seu impeachment, atualmente marcado para o começo de agosto, logo depois do início dos Jogos Olímpicos no Rio”, afirma a revista.
A publicação consulta analistas políticos brasileiros, que apontam a permanência da instabilidade no país e a ausência de força na liderança de Temer.
O sucesso do presidente interino, avalia o texto, dependerá sobretudo da possibilidade de o peemedebista “resgatar o Brasil de sua pior recessão desde os anos 1930, com uma contração do PIB de 5,4% no último ano”.
“Ainda não se sabe se ele conseguirá unir os rachados partidos políticos para tomar decisões econômicas duras em temas urgentes como a reforma previdenciária”, conclui a revista, citando a “decisão controversa” do Congresso de aprovar, em meio ao cenário de recessão e cortes, um aumento de 41% ao funcionalismo.
Para a Time, as lutas de Temer poderão se reverter em lucros para Dilma, pois “vários senadores agora dizem que poderiam mudar de opinião” em relação ao afastamento definitivo da presidente.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE