Suspensas demolições no Sítio Pau Pintado em Sumaré

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) suspendeu a ordem de demolição das casas do Bairro Sítio Pau Pintado, em Sumaré, em julgamento realizado nesta segunda-feira (7). A decisão abre caminho para a regularização da área, localizada na zona rural da cidade e onde vivem cerca de 140 famílias.

A decisão do relator Moacir Peres foi acompanhada pelos desembargadores Coimbra Schmidt e Eduardo Gouvêa e acolhe o pedido da associação de moradores do bairro. Na semana passada, o presidente da Câmara Municipal de Sumaré, vereador Willian Souza (PT), protocolou um documento no TJ-SP em que apelava aos desembargadores para reverterem a decisão que havia autorizado as demolições.

“Se antes os moradores temiam ser expulsos de suas casas, agora renovam as esperanças de morar em um bairro regular, com toda a infraestrutura que traz dignidade às famílias. Consideramos que foi uma solução sensata diante do avançado andamento do processo de regularização fundiária no Sítio Pau Pintado”, avalia Willian Souza, que acompanha o processo desde seu início e intermedia o diálogo entre os moradores e a Prefeitura.

O vereador parabenizou ao advogado Alexandre Mandl pela defesa das famílias, o prefeito Luiz Dalben os representantes da Prefeitura de Sumaré pelo suporte técnico, além dos membros da Associação de Moradores do bairro pela luta em defesa da moradia.

A decisão de segunda instância reconhece que novas tratativas entre a associação e o município foram reinicializadas para fins de viabilidade de regularização fundiária. A Prefeitura informou que estudos internos concluíram forte indicativo da possibilidade jurídica da implantação de núcleo urbano informal consolidado.

O município também reconheceu que a regularização do loteamento é viável do ponto de vista urbanístico e ambiental, bem como não há qualquer ocupação de área de preservação permanente e área de nascente nem riscos de alagamentos, deslizamentos e erosões no local. “Logo, não se revela justo e razoável impedir a regularização do loteamento em questão”, escreveu o desembargador Moacir Peres, em sua decisão.

“É de extrema importância termos ganhado esse julgamento, que hoje traz um conforto para as famílias em garantir que a regularização vai sair. Em breve, as famílias vão estar com a documentação em mãos. Antes vivíamos com aquela sombra da demolição. Graças a Deus e ao trabalho da Câmara, do presidente Willian Souza, da Prefeitura e do Dr. Alexandre, hoje estamos comemorando”, comemora o presidente da Associação de Moradores do Sítio Pau Pintado, Gilson Júnior.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE