Sumaré tem queda com Dengue no primeiro quadrimestre

Assim como a pandemia do coronavírus, a dengue também não acabou. São 194 casos positivos da doença em Sumaré até o momento. Mesmo com dados bem abaixo das 443 confirmações de dengue entre janeiro e abril do ano passado, a Prefeitura trabalha incessantemente para conter a proliferação do mosquito.

A Secretaria Municipal de Saúde vem intensificando as estratégias de combate ao Aedes aegypti que, além da dengue, também transmite a chikungunya e zika. As ações acontecem, inclusive, aos fins de semana. Mas, para o sucesso de mais essa batalha, a ajuda de cada um é fundamental, cuidando do quintal de casa.

Manter caixas d´água fechadas adequadamente; remover qualquer obstáculo que impeça a água da chuva de correr livremente pelas calhas;  lavar semanalmente (com escova e sabão) tanques e recipientes utilizados para o armazenamento de água; trocar a água e lavar os vasos de plantas pelo menos uma vez por semana; guardar garrafas sempre de cabeça para baixo. Essas são atitudes que fazem a diferença e podem evitar que você ou seu familiar adoeça. Cuidar também da grande casa: a nossa cidade! Não jogar lixo e entulhos em terrenos baldios e descartar corretamente pneus inservíveis. A falta de ambiente propício encerra o ciclo de reprodução do mosquito.

A orientação aos moradores quanto a essas medidas de prevenção é de rotina em Sumaré. A Secretaria Municipal de Saúde orienta a população a receber os agentes em casa. Eles estão devidamente identificados e, na dúvida, basta ligar para o telefone 156 da Prefeitura. A equipe municipal de controle de criadouros conversa com a população, faz a verificação e a colocação de larvicidas em possíveis ambientes de infestação do Aedes. Na última segunda-feira (3), esse trabalho aconteceu no Jardim Primavera.

A semana também começou com a nebulização no Parque Franceschini. Até o momento, mais de sete mil imóveis em toda a cidade já receberam essa ação. Uma terceira frente de trabalho dispensou atenção especial aos “pontos estratégicos”, como ferros velhos, borracharias, sucateiros e reciclagem. Desta vez, a fiscalização aconteceu na região do Matão.

“A melhor forma de prevenção é cuidar do ambiente onde vivemos, evitando focos de água parada, atuando como agentes multiplicadores de informações na comunidade em que estamos inseridos. A Administração faz a parte dela e conta com a sua colaboração. Nossas ações farão a diferença, protegendo toda a nossa família”, disse o prefeito Luiz Dalben.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE