Sumaré obtém índice geral satisfatório em pesquisa de Breteau

A Prefeitura de Sumaré realizou durante o mês de outubro a coleta de dados do Índice de Breteau, que mede o nível de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. O Município obteve classificação satisfatória, segundo levantamento feito em todas as regiões da cidade e que vistoriou 6.709 residências. A pesquisa serve para nortear as ações da Secretaria de Saúde, por meio da Superintendência de Vigilância e Unidade de Controle de Vetores, nos próximos meses. Com a realização do Breteau, é possível saber as áreas com maior proliferação do Aedes e o tipo de criadouro predominante em cada região. Apesar do índice satisfatório, o órgão alerta para as áreas das regiões do Maria Antônia e Matão, onde foi encontrado maior número de larvas.

 

Para o secretário de Saúde, Rafael Virginelli, o sucesso da ação de combate ao Aedes depende da mobilização e atitude de todos. “O mosquito é o vetor transmissor dos vírus da Dengue, Zika e Chikungunya e o Índice de Breteau permite identificar o tipo de criadouro encontrado nos domicílios vistoriados. A partir desse resultado, nossas equipes desenvolvem ações mais específicas, visando atingir prioritariamente as regiões com mais focos. Matão e Área Cura, por exemplo, estão com o índice acima de 1 e terão os trabalhos priorizados e intensificados, ao contrário do restante da cidade”, disse.

 

De acordo com o Ministério da Saúde e com o Laboratório de Biologia da Fiocruz, as chuvas e a elevação da temperatura aceleram o ciclo e multiplicam os locais de proliferação do Aedes aegypti. É necessário a população se mobilizar para eliminar os focos. “As chuvas aumentam criadouros e quanto maior a temperatura, mais rápida a velocidade do desenvolvimento do mosquito, finalizou o secretário.

 

Bom destacar que, para as ações de combate à dengue, a cidade de Sumaré é dividida em sete áreas urbanas. Os agentes realizam a aplicação de inseticida (nebulização ou “fumacê”) e também fazem busca ativa no bairro, bloqueio e controle de criadouros, além da aplicação de larvicida quando necessário. Neste ano, até o dia 28 de outubro, foram notificados 1.706 casos de dengue no Município. Desse total, 680 foram positivos, 1.024 negativos e 2 aguardam resultado.

 

Dicas para combater o Aedes aegypti

– Mantenha a caixa d’água sempre fechada e com tampa adequada;

– Remova folhas, galhos e tudo o que possa impedir a água de correr pelas calhas;

– Não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje;

– Lave semanalmente com escova e sabão os tanques e recipientes utilizados para armazenar água;

– Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas;

– Troque a água e lave o vaso de plantas aquáticas com escova e sabão pelo menos uma vez por semana;

– Guarde garrafas sempre de boca para baixo;

– Descarte corretamente o lixo, principalmente pneus inservíveis nas Administrações Regionais;

– Não jogue lixo em terrenos baldios;

– Mantenha as lixeiras fechadas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE