Sumaré trabalha inclusão de crianças com deficiência

A Prefeitura de Sumaré deu início esta semana a um projeto que trabalhará a inclusão social de crianças e jovens portadores de deficiência, por meio do adestramento de cães. Nesta tarde, o pequeno Lourenço Camacho, 13 anos, recebeu uma cadela com iniciação em adestramento, que vai auxiliá-lo em seu tratamento.
Lourenço é portador de Síndrome de Down. A cadela tem dois meses de idade, é da raça pastor alemão e já tem nome: Lola. Ela foi doada a Lourenço por colaboradores da Prefeitura de Sumaré e, antes da doação, recebeu um adestramento básico no Canil da Guarda Civil Municipal. Lourenço e Lola serão acompanhados nas próximas semanas para um estudo de campo, por meio do qual a Prefeitura, com uma equipe multidisciplinar, analisará a experiência e adequará o projeto, chamado Melhor Amigo, às necessidades das crianças.
“Este projeto tem como objetivo auxiliar na inclusão social e no desenvolvimento das nossas crianças que possuem alguma deficiência e, além disso, dar um lar para os cães que são encontrados abandonados na cidade. Estes animais receberão os primeiros cuidados e serão entregues às crianças, que terão a responsabilidade de cuidar deles e adestrá-los, ensinar técnicas de obediência. Os cães vão estimular a capacidade intelectual das nossas crianças e também podem ser excelentes guias para aqueles que possuem deficiências físicas. Sem dúvidas, este é um projeto socioambiental belíssimo, que tem tudo para dar certo”, comentou o prefeito Luiz Dalben.
O Melhor Amigo é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Inclusão e Desenvolvimento Social, o Fundo Social de Solidariedade, a Secretaria de Meio Ambiente e a Guarda Municipal, através do Canil. A expectativa é criar grupos de até cinco crianças e promover encontros periódicos para o adestramento dos animais. As aulas devem acontecer no próprio Canil da Guarda e a turminha terá acompanhamento dos adestradores que auxiliam os guardas, de psicólogos, médicos, veterinários, entre outros profissionais.
“Queremos que nossas crianças se sintam importantes e capazes, que saibam que, independentemente de qualquer deficiência, elas têm muito a ensinar, seja aos animais ou para outras pessoas”, comentou a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Sumaré, Mara Dalben.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE