Sumaré reduz em 98% casos de dengue

Segundo dados do último boletim da epidemiológico divulgado neste dia 11 de março pela Secretaria Municipal de Saúde, Sumaré registra 92 casos
confirmados de dengue no ano, até o momento. Isso significa uma redução de 98,3% no número de casos em comparação com o mesmo período de 2015,
quando havia 5.663 casos positivos. No entanto, os dados de 2016 ainda devem subir um pouco, porque há 598 exames aguardando resultado.

Sumaré registrou também um caso positivo de zika vírus neste ano, e outros 15 aguardam confirmação. Já em relação à Chikungunya, são cinco
exames aguardando confirmação, mas nenhum caso positivo até o momento.
Apesar dos números animadores, não é momento para o Poder Público, a iniciativa privada e a população ???baixarem a guarda??? no combate ao
mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus das três doenças. ?? o que afirma a secretária municipal de Saúde, Fauzia Raiza.

???Os números de casos estão bem mais controlados que em 2015. Porém, é preciso cuidado para não ficarmos com uma falsa sensação de segurança. O
combate ao Aedes tem que ser diário, ainda mais com as novas doenças ??? zika e chikungunya ??? sendo inseridas em nosso município e região.
Apenas com o apoio permanente de todos é que conseguiremos vencer esta guerra???, comentou.
MUTIR??O NO MAT??O
A Prefeitura de Sumaré, com apoio financeiro do Governo do Estado de São Paulo, realiza a partir deste sábado, dia 12 de março, em bairros da
Região do Matão, três novas forças-tarefa anti-Aedes aegypti. A ação da Prefeitura é promovida por meio da Vigilância Epidemiológica e da Rede
de Atenção Básica à Saúde (ambas subordinadas à Secretaria Municipal de Saúde).
Durante três sábados, nos dias 12, 19 e 26 de março, vão atuar de casa em casa as equipes de Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de
Controle de Endemias. Serão sempre de 30 a 55 profissionais em campo, divididos em 2 a 4 equipes, variando conforme o dia. As equipes contarão
com um veículo de apoio, um micro-ônibus e de 2 a 5 vans. O cronograma de trabalho pode sofrer no caso de chuvas muito fortes.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE