Edit

Sumaré orienta grávidas sobre risco do Aedes

Com o crescente número de casos de microcefalia no país e a suspeita de que eles podem ter relação com a infecção das gestantes pelo zika vírus, a Secretaria
de Saúde de Sumaré vem reforçar a orientação para que a população em geral, especialmente as famílias e comunidades que têm mulheres grávidas em casa ou na
vizinhança, façam a sua parte no combate ao mosquito transmissor deste vírus ??? e também dos vírus da dengue e da febre chikungunya ???, o Aedes aegypti.

Para
as grávidas, há uma orientação extra e urgente: a utilização sistemática de repelente, desde que o produto seja devidamente autorizado para uso humano.

A microcefalia é uma redução no tamanho do cérebro dos bebês, que causa problemas no desenvolvimento do bebê e pode trazer diversas limitações para a vida
toda.

A cidade não registra suspeitas de casos assim até o momento. Mas Sumaré possui uma população transitória muito grande, o que é um fator de facilitação
na circulação de doenças infectocontagiosas.

Segundo o próprio Ministério da Saúde, que investiga a relação entre zika vírus e microcefalia em fetos, ???é importante que as gestantes adotem medidas que
possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e
janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.???
COMBATE
Todos os três vírus são transmitidos pelas fêmeas adultas do Aedes aegypti, que costumam nascer e permanecer em aglomerações urbanas e a picar de dia (mas o
ataque também pode ocorrer à noite).

Em Sumaré, a equipe de combate ao mosquito estima que cerca de 80% dos criadouros estão no interior dos imóveis
particulares. Os vírus das doenças são passados de uma pessoa infectada para uma pessoa sadia através da picada da fêmea do bicho.
Nos imóveis residenciais, comerciais ou industriais, as larvas do Aedes aegypti nascem e crescem em qualquer tipo de recipiente, embalagem, superfície ou
calha que acumule água limpa.

Entram na lista de ???criadouros da dengue???: vasilhames em geral, panelas velhas, pratos de vasos, latas, pneus velhos,
bromélias, isopor, tambores, calhas, caixas d???água destampadas, caixas de leite, sacolas plásticas, vidros de remédios, baldes, vasos sanitários pouco
utilizados, box de banheiro, motor de geladeira antiga, galões de água destampados e potes de água de animais domésticos, entre outros.

???O período de desenvolvimento da larva até sua transformação em um mosquito adulto é de 10 dias. Por isso, uma vez por semana, todos devem vistoriar suas
casas e quintais, eliminando qualquer coisa que possa acumular água. Se todos os vizinhos fizerem isso, aquela comunidade ou bairro vai ficar livre do
mosquito transmissor destes vírus.

Em 10 minutos é perfeitamente possível vistoriar um imóvel???, acrescentou a Secretaria Municipal de Saúde.
Por isso também, o próprio tema da campanha de orientação e conscientização deflagrada pela Prefeitura neste segundo semestre tem como slogan ???10 minutos
contra a dengue???, seguindo os preceitos da Fundação Fiocruz e pedindo que toda a população dedique 10 minutos do seu tempo, a cada semana, para eliminar de
seus imóveis quaisquer objetos ou vasilhas que possam acumular água parada e, assim, servir de criadouro para as larvas do mosquito Aedes aegypti.

Nessa
frequência de uma vistoria por semana, evita-se que as larvas se transformem em mosquitos adultos.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE