Sumaré controla dengue em 2016

Após dois meses de funcionamento ??? e tendo sido considerado novamente um sucesso pela Secretaria Municipal da Saúde de Sumaré ???, o Polo de Atendimento à
Dengue de Nova Veneza deixará de funcionar a partir do dia 30 de abril. 
O motivo, segundo a Secretaria, é a diminuição do número de casos das doenças cujos
pacientes graves são atendidos prioritariamente no polo (dengue e zika vírus), algo esperado para essa época do ano.
O espaço voltará a ser utilizado exclusivamente pelo CIS (Centro Integrado de Saúde) Nova Veneza que, Unidade de Saúde desde o início das atividades do Polo
de Atendimento à Dengue, em fevereiro, dividia espaço com o atendimento especializado de pacientes das arboviroses. 
???Desde a sua abertura, em 22 de fevereiro, o Polo Dengue teve o objetivo de garantir mais acesso aos pacientes acometidos por estas doenças, com espaço e
equipe específicos. O local funcionou 12 horas por dia e contou com uma equipe composta por dois médicos clínicos e um pediatra, enfermeiros e técnicos de
enfermagem???, disse a secretária de Saúde Fauzia Raiza. ???Felizmente uma somatória de ações nos trouxe um resultado positivo, com redução no número de casos.??? 
Entretanto, vale lembrar que, considerando o histórico de Sumaré, apesar de os casos da doença diminuírem nesse período, eles não cessam. Dessa forma, a
Secretaria Municipal de Saúde pede a toda população que continue na luta contra o mosquito da dengue, eliminando recipientes que possam servir de criadouro e
realizando a limpeza de espaços que possam acumular água. 
Apesar do encerramento das atividades do Polo no ano de 2016, vale lembrar que a cidade possui cinco unidades públicas de urgência e emergência para
atendimento desses casos, além de 23 Unidades Básicas de Saúde que realizam acolhimento de pacientes suspeitos de dengue, zika vírus ou chickungunya.

N??MEROS– Segundo a Vigilância Epidemiológica de Sumaré, a cidade tem 442 casos confirmados e 101 aguardando resultado de dengue em 2016, o que representa uma redução de 96,6% em comparação com o mesmo período de 2015, quando eram 13.041 casos. Já em relação ao zika vírus, são 40 casos confirmados.

Não há registros de chikungunya na cidade de Sumaré.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE