SP. Rodovias têm queda de 43% no feriado

 SP. Rodovias têm queda de 43% no feriado

O movimento de veículos nas rodovias paulistas sob concessão caiu 43,1% no fim de semana prolongado do feriado de Dia do Trabalho na comparação com a mesma data comemorativa de 2017, última vez em que houve uma emenda de três dias. O resultado reflete a orientação do Governo do Estado para que as pessoas fiquem em casa durante este período de quarentena, em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Com a redução do tráfego, também foram registrados 53% menos acidentes e houve queda de 75% nas mortes.

Desde quinta-feira-feira (30), por orientação da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), as concessionárias de rodovias paulistas passaram a veicular mensagens nos painéis eletrônicos orientando a população a não viajar. Foram veiculadas no período as seguintes frases: “A quarentena foi prorrogada até 10 de maio. Fique em casa!”; “Neste feriado, cuide da sua saúde e da sua família. Fique em casa!”; “Neste feriado, respeite a quarentena, fique em casa!”; “Neste feriado, se puder, não viaje. Siga a quarentena e fique em casa!”; e “Previna-se contra o Coronavírus. Fique em casa! Respeito à Vida”.

Feriados anteriores. O reforço às mensagens de alerta para evitar as estradas no período da pandemia já havia sido adotado nos fins de semana prolongado da Páscoa e de Tiradentes, quando a redução no tráfego atingiu 66,56% e 46,63%. Com a prorrogação da quarentena até o dia 10 de maio, a ARTESP manteve a orientação para que a população não faça viagens desnecessárias. As concessionárias seguem exibindo as mensagens: “Previna-se contra o Coronavírus; Evite aglomerações” ou “Coronavírus: higiene é prevenção; Lave bem as mãos”, que são veiculadas nos painéis eletrônicos desde que foram iniciadas as medidas de combate à Covid-19 em São Paulo.

Serviços mantidos. Mesmo com a recomendação para se evitar as viagens durante a quarentena, e com a redução do tráfego nas rodovias desde o início do isolamento, as 20 concessionárias de rodovias do Estado de São Paulo mantêm suas equipes a postos para a prestação de serviços essenciais aos usuários, como socorro mecânico, guincho e ambulância, além das equipes de monitoramento dos Centros de Controle Operacionais (CCOs) e da manutenção da malha, com serviços de conservação do pavimento e sinalização. E foram adotadas medidas para reforçar a higiene e reduzir o risco de contágio nas praças de pedágio e em outras edificações das concessionárias.

Além disso, as concessionárias de rodovias têm adotado uma série de medidas para reduzir os riscos de contaminação. Em todas as edificações, e principalmente nas praças de pedágio, foram intensificadas as medidas de higiene e de proteção aos funcionários. Nas praças de pedágio foi disponibilizado álcool gel para os operadores higienizarem as mãos e superfícies de contato frequente, e para os usuários. E, desde quinta-feira (30) está funcionando como projeto piloto a cobrança com cartão de crédito por aproximação nas praças de pedágio das malhas das concessionárias Ecovias e Ecopistas, responsáveis pela operação de rodovias como a Anchieta (SP-150), Imigrantes (SP-160), Ayrton Senna (SP-070) e Carvalho Pinto (SP-070).

Atendimento aos caminhoneiros. Durante o período de combate ao coronavírus, as operadoras de rodovias do Estado de São Paulo ampliaram a atenção aos caminhoneiros, responsáveis por serviços essenciais e estratégicos durante o combate à Covid19, como a manutenção do abastecimento aos mercados e o transporte de insumos médicos e hospitalares. As concessionárias já distribuíram para os caminhoneiros 122.2 mil kits alimentação (marmitex, vales refeições ou kits lanches), 72,8 mil kits higiene (conjuntos com sabonete, álcool gel e outros produtos ou vale banho para serem utilizados nos postos de serviços das estradas) e 25,2 mil eletrônicas (TAGs) para pagamento de pedágio nas cabines automáticas – o pagamento automático evita o contato entre o caminhoneiro e o operador da praça, reduzindo o risco de contágio.

Relacionados

Leave a Reply