Sociólogo detona Reforma Trabalhista

A história condenará seus algozes. Não há dúvida que o episódio de ontem na ocupação da mesa do Senado Federal por cinco guerreiras é simbolico. A desgraça da Reforma Trabalhista que as elites brasileiras financiadas pelo Capital Financeiro Internacional que foi covardemente votada pelo Senado é a prova mais nítida do papel que este grupo politico que hoje ocupa o Palácio do Planalto veio fazer, que é de provocar o caos na sociedade. A Reforma Trabalhista atinge todos de forma cruel, mas sobretudo as mulheres, e não é atoa que elas protagonizaram uma das cenas mais simbólicas de toda a trajetória Republicana.

Tentamos até o fim, mas a força do capitalismo suplantou na sociedade um duro golpe  aos trabalhadores e trabalhadoras deste país, a Reforma  desfacela os poucos direitos que ainda restavam, joga os trabalhadores e as trabalhadores nas piores condições. Este debate não é novidade, já na Ditadura Militar de 1964 á1985 tentou deter os avanços destes direitos, mais é o capitalismo de mercado que nos leva a pré 1943, e pré  Vargas e a pré 1917 ano das primeiras Greves Gerais Brasileira.
A Reforma Trabalhista tem só uma função levar o país ao buraco, pois rompe-se toda e qualquer forma societária que se vincula na organização do trabalho, só o plano individual é o que vale. Destrói-se direitos de muitos para construir regalias a poucos. Vão na contra- mão da própria condenação feita pelo Organização Mundial do Trabalho (OIT)  que em carta relata que a Reforma Trabalhista viola inúmeras Convenções assinadas pelos países signatários.
Tentamos até o fim.
A nós trabalhadores e trabalhadoras resta a rebeldia, a resistência, a negação deste fato, pois ele nos levara a mais profunda perda de direitos, abre-se neste momento um novo tempo, o tempo das ruas pois só as Ruas trará de volta estes direitos conquistados com suor e sangue. A luta só esta começando. 
Bruno Francisco PereiraMilitante e Sociólogo

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE