Sob pressão, ver.s acatam veto e aumento de salário é descartado

O PSDB de Nova Odessa sofreu a primeira derrota após a eleição do prefeito Bill Vieira de Souza. Em sessão extraordinária realizada na tarde de ontem, os vereadores acataram por unanimidade, veto do prefeito Manoel Samartin (PDT) ao aumento de salários do prefeito, vice e secretários, que entraria em vigor a partir de 2013. Com faixas e nariz de palhaço, um grupo de pessoas, de diversos setores da sociedade, lotou as galerias e pressionou os parlamentares a aprovarem o veto do executivo. O presidente da Câmara e autor do projeto, Adriano Alves (PSDB), reconheceu o erro e se desculpou. Um novo projeto com reajustes menores deve ser encaminhado à Casa no início do ano.

URG??NCIA O projeto de lei que concedeu reajuste nos subsídios de agentes políticos foi aprovado em regime de urgência na última sessão ordinária do ano, realizada no dia 10 de dezembro. Pela proposta, o prefeito eleito Bill Vieira de Souza (PSDB) iniciaria o mandato com salário de R$ 16.395,20, valor 75% superior a de seu antecessor Manoel Samartin (R$ 9.348,86). O subsídio do vice Oscar Berggren Neto seria de R$ 8.197,60, aumento de 110% ao valor pago hoje, de R$ 3.895,36. Já os novos secretários teriam reajuste de 25%. O salário passaria de R$ 9.123,94 para R$ 11.533,22.

PRESS??O Após a aprovação do reajuste, diversos grupos se mobilizaram nas redes sociais e iniciaram uma campanha contra os supersalários. Uma caminhada de protesto foi realizada na cidade pedindo que Samartin vetasse o aumento. O resultado foi conferido ontem, quando o plenário da CM-NO ficou lotado por populares contrários a proposta de aumento.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE