SM retoma serviço de contenção do córrego

Com o tempo relativamente seco dos últimos dias, com sol durante boa parte do dia, foi possível à Prefeitura de Sumaré retomar os serviços emergenciais de contenção da margem esquerda do Córrego Tijuco Preto, no trecho onde se localizam as ocupações irregulares das áreas verdes dos jardins Nova Terra e Lúcia, na Região do Matão. Os trabalhos foram retomados pela equipe da Administração Regional do Matão, vinculada à Secretaria de Serviços Públicos, na última segunda-feira, dia 7 de março.
???Retomamos a obra e estamos fazendo a recomposição do solo com rochas e pedras. São utilizados seis caminhões trucados para o transporte das rochas, mais uma escavadeira para espalhar e compactar o material. Nas duas margens do córrego, desde o início do ano, já utilizamos cerca de 380 metros cúbicos de material sólido. ?? um serviço que só para quando chove mesmo???, explicou o administrador regional Otair Ferreira. A expectativa de término desse serviço, segundo ele, é de mais cerca de 20 dias úteis ???secos??? (descontando os dias em que chove e os finais de semana).
Na margem direita, os serviços paliativos haviam começado dia 18 de fevereiro, mas, em função das chuvas constantes, teve de ser suspenso algumas vezes e não pôde continuar sempre que o solo estava úmido ou ???saturado??? ??? estado que torna inviável a extração do material da pedreira e também a compactação que é necessária no local da obra, para garantir a estabilidade da recomposição do solo com rochas e terra. Na verdade, dependendo do volume de chuvas, é necessário aguardar até dois dias de sol para secar o solo, antes da retomada do serviço.
Com 7 quilômetros de extensão e afluente do Ribeirão Quilombo, o Tijuco Preto recebe as águas pluviais (das chuvas) de uma área urbana (loteamentos) de cerca de 15,7 quilômetros quadrados. Neste ponto do Tijuco Preto, no início de janeiro, a Defesa Civil municipal havia interditado um imóvel na ocupação situada na área verde do Jardim Lúcia. Atingido pela erosão crescente da margem direita do córrego, causada pelas fortes chuvas da virada do ano, parte da casa interditada (e cujos moradores já haviam deixado o imóvel) acabou ???engolida??? e cedeu.
NOVA TERRASemana passada, após chuvas constantes e um grande volume de água ???drenado??? para a bacia do Tijuco Preto, cinco construções irregulares situadas na margem oposta (esquerda), na área de preservação permanente do Jardim Nova Terra, também foram interditadas após novos pontos de erosão surgirem e crescerem rapidamente.
Neste caso, as famílias ainda se recusam a deixar os imóveis e serem atendidas pela Prefeitura através do Programa Social de ???Auxílio Aluguel??? ou ???Auxílio Moradia???. A situação está sendo analisada pela Defesa Civil junto à Procuradoria Geral do Município e não está descartada a possibilidade de uma remoção coercitiva.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE