SM: escolas devem ter aulas de empreendedorismo

Atitude empreendedora! Esse é o JEPP (Jovens Empreendedores Primeiros Passos), programa do Sebrae-SP criado com a finalidade de disseminar a cultura empreendedora e orientar para o plano de negócios, de maneira a estimular os comportamentos empreendedores entre crianças e adolescentes, incentivando-os à prática do empreendedorismo e o protagonismo juvenil! E esta é a proposta da administração municipal de Sumaré, por meio da Secretaria Municipal de Educação: implantar a aula de empreendedorismo nas escolas municipais para alunos do Fundamental I e II, Ensino Médio e EJA (Educação para Jovens e Adultos), a partir do próximo ano letivo. O assunto constou na pauta de reunião com diretores na manhã desta quarta-feira (16), no CEFEMS (Centro de Formação de Educadores Municipais de Sumaré).
A educação empreendedora proposta pelo Sebrae para o Ensino Fundamental incentiva os alunos a buscar o autoconhecimento, novas aprendizagens, além de praticar o espírito de coletividade. Dessa forma, o curso aliado a um ambiente propício à aprendizagem, favorece o envolvimento dos jovens estudantes no próprio ato de fazer, pensar e aprender. No encontro que contou com a presença do deputado estadual, Dirceu Dalben; a secretária Municipal de Educação, Mirela Cia, e o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Claudio Padovani, foi apresentada a metodologia que instiga o desenvolvimento do comportamento empreendedor. ????? a oportunidade de qualificar a nossa rede municipal, inclusive de agregar essa formação ao currículo dos professores. Essa parceria com o Sebrae só vem a fortalecer ainda mais a nossa rede municipal de ensino, que já é referência em muitos projetos. Faço o apelo para que as escolas municipais abracem essa iniciativa inovadora, e assim transformaremos Sumaré em cidade empreendedora. ?? um projeto muito importante para o crescimento do ser humano, inclusive vamos propor a implantação como grade curricular em nível de Estado???.
De acordo com o programa, após a adesão, os professores vão receber a capacitação EAD (on line) e depois, a presencial, na própria unidade escolar. O material é totalmente gratuito. ???As escolas já podem fazer a solicitação do curso junto à Secretaria Municipal de Educação para darmos continuidade ao JEPP em Sumaré e implantarmos a aula de empreendedorismo a partir do primeiro semestre de 2020. Esperamos que haja 100% de adesão, e assim poderemos beneficiar toda a nossa rede municipal. ?? uma oportunidade que pretendemos oferecer às nossas crianças, adolescentes, jovens e adultos do EJA???, comentou a secretária Mirela.
De acordo com a representante do Sebrae-SP, Livia Bernardes, o curso já é sucesso, pois incentiva comportamentos empreendedores, além de estimular o protagonismo juvenil e a iniciativa futura na busca de possibilidades de inserção no mundo do trabalho por meio de uma postura empreendedora e autônoma. ???Aprender sempre é um bom negócio, e cada vez mais as escolas estão interessadas em colocar a cultura empreendedora na grade curricular???, disse a consultora.
Num primeiro momento, os professores receberão 30 horas de capacitação via EAD, podendo concluir o conteúdo em 20 dias dentro da plataforma estabelecida, seguido de prova; depois vem a parte presencial, na própria escola, e o certificado. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Padovani, essa iniciativa é um legado que a atual gestão vai deixar para as próximas gerações. ????? um projeto destinado a fomentar a educação e a cultura empreendedora, e que mais uma vez Sumaré sai na frente, ao implantá-lo na rede municipal, beneficiando alunos do primeiro aos nonos anos, Ensino Médio e EJA. Isso demonstra o compromisso da Prefeitura de Sumaré, por meio da Secretaria Municipal de Educação, ao ofertar educação de qualidade na rede municipal???.
Ainda segundo Livia Bernardes, a educação deve atuar como instrumento de transformação e de incentivo a quebra de paradigmas e no desenvolvimento das habilidades e dos comportamentos empreendedores. E o que é importante, o curso se adequa à realidade da escola e dos alunos. ???O JEPP considera a autonomia do estudante tanto no quesito aprendizagem como no favorecimento ao desenvolvimento de atributos e atitudes necessários para a gestão da própria vida. Essa visão está em consonância com os quatro pilares da educação propostos pela Unesco, que são: aprender a conhecer, isto é, adquirir os instrumentos; aprender a fazer, para poder agir sobre o meio envolvente; aprender a viver juntos, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas; aprender a ser, via essencial que integra as três precedentes???, finalizou a consultora do Sebrae-SP.
Além do JEPP, a reunião da SME com diretores teve outros assuntos na pauta, como a apresentação das experiências que resultaram em grandes conquistas das escolas EM Jardim Denadai e EMEF Profª Neusa de Souza Campos; e a apresentação de um vídeo homenageando os diretores pelo Dia do Professor, seguido de coffee e a entrega de mimos pela data especial.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE