Sindicato dos condomínios orienta fechamento de áreas comuns

As áreas comuns dos Condomínios deverão ficar fechadas durante as festas do fim de ano, para seguir as determinações do Governo do Estado, que anunciou a volta para a fase vermelha do Plano São Paulo, para evitar aglomerações nas festas de fim de semana.

As medidas de restrições devem ser seguidas pelos Condomínios dos 632 municípios da área de abrangência do Sindicond. A volta para a fase mais restritiva do Plano São Paulo foi anunciada nesta terça-feira (22), em coletiva de imprensa.

As medidas vão valer para o período de 25 a 27 de dezembro e de primeiro a 3 de janeiro. Os Síndicos e Administradoras devem cumprir o plano e fechar piscinas, academias de ginástica, playgrounds, churrasqueiras e outras áreas de lazer.

O Sindicond já havia orientado os gestores para restringir o acesso de visitantes nos Condomínios, nas festas de fim de ano. Cientistas consideram aglomerações reuniões com mais de quatro pessoas.

“Os Condôminos e colaboradores dos Condomínios têm dado exemplo no cumprimento das determinações. E pedimos mais um pouco de paciência aos moradores, porque a vacinação no Estado começará mês que vem. Pedimos que as pessoas não se aglomerem, que respeitem o distanciamento social, que não usem as áreas comuns. Vamos nos unir neste corrente pela saúde de todos”, pediu o presidente do Sindicond, José Luiz Bregaida.

Durante o período anunciado, poderão funcionar apenas comércios considerados essenciais, como farmácias, padarias e mercados. Isso quer dizer que restaurantes e bares terão que ficar fechados.

O atendimento presencial está proibido em shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais.

Além disso, não serão permitidos eventos, convenções e atividades culturais nestas datas. Estão proibidas atividades que geram aglomerações.

Todas as regiões do estado estão em alerta devido à evolução de casos, internações e mortes em decorrência da COVID-19.

Além do regresso momentâneo à etapa mais restritiva de controle da pandemia, nenhuma região deverá retornar à fase verde – a penúltima na escala de abrandamento – em janeiro.

“Precisamos do apoio dos municípios. Apoio dos Prefeitos, Secretários de Saúde, assim como da própria população, até as vacinas chegarem. Está bem perto. Vamos imunizar e proteger os brasileiros”, declarou o secretário de Estado de Saúde, Jean Gorinchteyn, na nota do Estado. “O uso de máscaras, além do distanciamento entre as pessoas e evitar aglomerações é imperioso”, acrescentou.

Nos demais dias, todo o estado continua na fase amarela, a terceira das cinco estipuladas pelo Plano SP. A exceção é a região de Presidente Prudente, com 45 municípios que retornam de forma extraordinária para a fase vermelha a partir do dia 25 e permanecem até a próxima reclassificação em janeiro. Já a reclassificação do faseamento foi remarcada do dia 4 para 7 de janeiro.

Como novos prefeitos assumem os cargos no primeiro dia de 2021, o Governo do Estado fará reuniões a partir do dia 4 para apresentação do Plano SP. A iniciativa visa garantir que as medidas restritivas sejam cumpridas em parceria com os municípios.

DADOS

De acordo com dados da Secretaria da Saúde, a taxa estadual de ocupação de UTIs atualmente é de 61,9%, com aumento para 67% na Grande São Paulo. São 4.775 internados na rede estadual em leitos de UTI e outros 6.215 em enfermarias – os dados se referem tanto a casos suspeitos como pacientes confirmados com coronavírus.

São Paulo já registrou 1,39 milhão de contaminados desde o início da pandemia, com 45.395 mortes até agora. No Brasil, os casos confirmados ultrapassam 7,26 milhões, com pouco mais de 187 mil mortes em decorrência da COVID-19.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE