Servidores de Sumaré ameaçam greve

O presidente do SINDISSU (Sindicato dos servidores de Sumaré),  Araken Lunardi, esteve presente na sessão da Câmara de Sumaré desta terça-feira (9) e usou a tribuna livre para deixar um aviso a prefeita Cristina Carrara (PSDB). Se não houver acordo referente a reposição da categoria, “não hávera atendimento público a partir do dia 1º de maio”.

“Jamais viemos aqui nessa tribuna por causa não justa. A reposição que estamos fazendo em nosso pleito é uma questão obrigatória, garantida pela Constituição Federal. Diante de toda essa situação, não consigo entender o significado de valorização. Não conseguimos nem metade da nossa reposição. Pedimos que os vereadores tentem mudar a postura da Administração, caso contrário, a partir do dia 1º não terá atendimento à população. ?? preciso um acordo”, disse Araken.
A categoria pede 6,97% de reposição. No entanto, a Prefeitura fez uma contraproposta de 3%, sendo realizado o parcelamento do dissídio em três vezes a partir de janeiro de 2014, desrespeitando a data-base da categoria, que é em março.
Foto ilustrativa

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE