Edit

Sequestraram Instagram da miss e ela pagou resgate

Mais um caso de vítimas de extorsão na internet. A Miss Mundo Surda Thaisy Payo passou por uma situação desagradável ao perder o controle da sua conta no Instagram, que foi ‘sequestrada’ por um hacker, que exigiu que a Miss pagasse um resgate para obter novamente o controle.

O caso gerou um grande problema para Thaisy Payo, que é uma pessoa pública e tem diversas parcerias firmadas através de posts no perfil. Perder a conta no Instagram para ela seria traumático. O hacker exigiu 600 reais, que depois viraram mais 5000: “primeiro o hacker exigiu um deposito em uma conta internacional, na Turquia, do valor de 600 Reais. Em seguida disse que o valor era pouco e pediu mais 5000. Gastei 5600 Reais e mesmo assim só consegui retomar o controle da minha conta através de uma assessoria externa. Tive de pegar um empréstimo para pagar o resgate. A situação me causou muitos problemas, perdi muitos seguidores também”, conta.
O delegado de polícia civil e escritor Thiago Garcia comentou o caso e afirmou que o ocorrido pode ser considerado crime e tem consequências fora do mundo virtual: “a conduta do sequestro de contas de rede social pode caracterizar basicamente dois crimes. O primeiro é referente ao artigo 154a do Código Penal, crime de invasão de dispositivo informático, que foi criado após o caso da Carolina Dieckmann, que teve suas fotos vazadas na internet, e também crime de extorsão, tipificado no artigo 158 do Código Penal. Para ambos estão previstos penas”. 
No entanto, o Dr. Thiago Garcia relata que crimes cibernéticos tem uma dificuldade adicional devido ao anonimato da internet: “Infelizmente há certa dificuldade no que diz respeito a crimes eletrônicos. No entanto, recomendamos às vitimas que registrem boletim de ocorrência, pois a polícia tem obtido certo sucesso na investigação desses crimes”. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE