Edit

Saúde pública consome R$ 180 milhões ao ano

A Saúde pública consome R$ 180 milhões ao ano em Americana com dados anualizados. A Secretaria de Saúde realizou nesta sexta-feira (27), no plenário da Câmara Municipal, a audiência pública para prestação de contas referentes ao segundo quadrimestre de 2019. De acordo com a apresentação, durante os últimos quatro meses a Secretaria de Saúde recebeu R$ 60.016.344,32 em receitas referentes aos recursos destinados pelas três esferas federativas.
O secretário, Gleberson Miano, juntamente com a equipe do Fundo Municipal de Saúde, esclareceu todas as movimentações financeiras e apresentou os balanços detalhados sobre os serviços que foram prestados no período. Estiveram presentes os vereadores Wellington Rezende, que presidiu a sessão, Thiago Martins, Pedro Peol, Thiago Brochi, Professor Padre Sergio, Gualter Amado e Odir Demarchi; o superintendente da Fusame, José Carlos Marzochi; o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Marcelo Antônio Fernandes; além de servidores, conselheiros de saúde e representantes de associações e entidades diversas.
O maior volume de investimentos no quadrimestre tem como fonte o próprio município, que destinou R$ 46.198.643,95. O governo federal contribuiu com R$ 12.518.204,75 enquanto o Estado investiu R$ 1.299.495,62. Isso demonstra que o município vem arcando com a maior parcela, já que foi o responsável direto por 79,13% de todo o investimento, enquanto que o governo federal contribuiu com 19,34% e o governo estadual com 1,53% do orçamento correspondente.
As despesas relativas ao segundo quadrimestre foram na ordem de R$ 60.206. 230,79, cujos mandados judiciais representaram a maior fatia dentre as despesas com materiais de consumo. No período foram gastos R$ 3.122.909,06 somente com aquisição de medicamentos e materiais por ordem judicial, representando 58,81% dos gastos nessa categoria. Em relação às despesas com serviços a maior soma foi para pagar procedimentos médico-hospitalares e laboratoriais, que tiveram um gasto de R$ 3.125.415,67, correspondendo a 35,10% desse conjunto de despesas. 
Gleberson avalia que, apesar do parco recurso, oriundo das esferas estadual e federal, a administração municipal não tem medido esforços para buscar sempre os melhores resultados aos moradores. “Apesar da dificuldade a gente vê que tem melhorado; nós pedimos um pequeno aumento de receita para o ano que vem e o prefeito, Omar Najar, nos atendeu. Quanto à questão da judicialização, a gente conseguiu criar o núcleo para o assessoramento dos magistrados e já estamos tendo algumas decisões positivas; a gente tem acompanhado com muito afinco todo o orçamento da saúde para tornar ele o mais eficiente possível para resultar em bons frutos para a população”, destacou o secretário.  
Determinada pela lei federal nº 141, de 2012, e também pela lei municipal nº 5.717, de 2015, a audiência pública é um dos pilares do controle social para o SUS (Sistema ??nico de Saúde). Nela, os gestores devem detalhar as ações e investimentos realizados, bem como as áreas onde foram gastos todos os recursos recebidos das três esferas de governo.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE