Rui Falcão destina R$ 500 mil para exames em Nova Odessa

Exatos 20 dias após uma reunião em São Paulo com o deputado federal Rui Falcão (PT), o prefeito de Nova Odessa, Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD), recebeu um ofício da Câmara dos Deputados confirmando a liberação de uma emenda individual impositiva ao OGU (Orçamento Geral da União) de 2021 do parlamentar, no valor de R$ 500 mil, para a realização de exames represados em pacientes da Rede Municipal de Saúde.

“A partir de agora, a Prefeitura de Nova Odessa, que está sendo muito bem administrada pelo meu amigo Leitinho. Já pode cadastrar a proposta técnica (de utilização dos recursos da emenda) junto ao Governo Federal, dentro dos prazos previstos. Meu gabinete também está à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários, através da minha assessoria de Orçamento”, traz o ofício do deputado ao prefeito.

“Ficamos muito felizes com essa confirmação. O deputado federal Rui Falcão cumpre assim a promessa que nos fez ainda em fevereiro deste ano, antes mesmo de nos encontramos pessoalmente, e confirma seu compromisso de trabalhar pela população de Nova Odessa. É disso que precisamos: de parceiros que nos ajudem a fazer o melhor pela nossa população, principalmente na área da Saúde. A prioridade do nosso governo é cuidar das pessoas, melhorar a Saúde e salvar vidas”, agradeceu Leitinho.

Escritório

O prefeito, o chefe de Gabinete Carlos Fanti, o secretário de Governo Marco Russo e o secretário-adjunto de Administração, Eduardo Mota, estiveram no dia 5 de maio no escritório do parlamentar em São Paulo. Já o ofício veio endereçado de Brasília.

“Estou impressionado com seu governo, Leitinho. Está fazendo um grande investimento na Saúde, resolveu problemas para garantir o suporte ao tratamento da Covid-19. Sobre a indicação de emenda parlamentar para investimento na Saúde Pública do município, trata-se de recurso para auxiliar no SUS e no fortalecimento da rede pública”, comentou Rui Falcão na ocasião.

Recentemente, o prefeito Leitinho anunciou medidas para a realização de exames solicitados e não realizados, visando reduzir a demanda reprimida – incluindo casos de pacientes que já estariam há anos na “fila”. Estimativa preliminar apontava para a existência de 5 mil a 8 mil pedidos de exames ainda sem atendimento na cidade. As maiores filas são para exames de imagem, incluindo raios-x e ultrassom, entre outros. Uma parte já vem sendo realizada gradualmente com recursos próprios da Prefeitura.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE