Roda de Conversa discute Violência contra a Mulher em SB

Com o tema ???Virando a página: histórias que inspiram???, será realizada pelo do Conselho da Mulher de Santa Barbara d´Oeste, uma Roda de Conversa que discutirá o tema Violência contra Mulher com convidadas que passaram pela experiência, marcando a campanha ???16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher???, promovido mundialmente e apoiado pela ONU. O evento é gratuito, aberto ao público e acontece dia 29 de novembro, a partir das 19h30, no Café da Estação Cultural, na av. Tiradentes 02. Toda a ação tem parceria com a youtuber e comunicóloga JuTantas, com o Programa Informativo Mulher Brasil, TV UNIMEP e o Programa Clube das Luzes, apresentado por Luciana Scudelari.

A campanha ???16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher??? é promovida mundialmente e o Brasil faz parte dessa mobilização global da sociedade civil. Aqui, a iniciativa dura 21 dias, começando no dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, com encerramento marcado para o dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Esta mobilização global é apoiada pela ONU com a campanha: ???Una-se pelo Fim da Violência Contra as Mulheres???, com o objetivo de sensibilizar para o ativismo e compartilhar conhecimento e inovação no que se refere à prevenção e eliminação da violência contra mulheres e meninas em todo o mundo.

O Conselho Municipal de Santa Barbara d´Oeste, desde 2014, aderiu à campanha em nível internacional e nacional como medida de conscientização pública. Essa adesão visa contribuir com o trabalho que é realizado de forma intensiva para garantir o direito da mulher/menina e fomentar a cultura de paz.

???A mesa discutirá caminhos de superação de situações de violência contra a mulher, a partir do testemunho de pessoas que irão narrar suas histórias de vida que inspiram pela superação do ciclo de violações a que foram submetidas. Elas viraram a página e se reinventaram???, explicou a presidente do Conselho da Mulher de Santa Bárbara d´Oeste Yone Silva.

???Queremos que as pessoas reflitam sobre o enfrentamento à violação dos direitos a partir de um espaço de escuta das histórias de vida de mulheres que romperam o silêncio da violência sofrida e viraram a página se reinventando na vida e, assim, criar laços de solidariedade que permitam as participantes romperem  com o medo e o silêncio que retroalimenta situações de violência???, concluiu Yone.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE