Edit

RMC gera mais de 9.500 empregos formais em agosto

O setor de Serviços, o Comércio e a Indústria, juntos, geraram 8.975 postos das 9.669 vagas de trabalho com carteira assinada aberta da Região Metropolitana de Campinas (RMC), em agosto de 2021. Os postos abertos nestes três setores representam 92,82% das vagas criadas naquele mês. Apenas em Campinas foram gerados 3.229 postos de trabalho. Na RMC, no acumulado do ano (2021) foram criados 56.056  empregos formais, 315,77% acima dos 25.980 eliminados no acumulado do ano de 2020.

Em Campinas, também no acumulado do ano, a quantidade de vagas abertas foi de 18.885, o que representa 232,65% acima dos 14.237 postos de trabalho eliminados no acumulado do ano de 2020. “Avaliando os números apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), verifica-se que a geração de emprego formal no período de janeiro a agosto de 2021 é a maior desde o mesmo período de 2013. Apenas em agosto deste ano, na RMC, foram gerados 56.056 contra 23.160 vagas criadas em agosto de 2013”, informa o economista Laerte Martins, diretor da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

O economista observa o mesmo comportamento em Campinas no acumulado do ano e, também, em agosto de 2019, quando registrou-se a abertura de 18.885 postos de trabalho, contra 8.213 vagas com carteira assinada criadas em agosto de 2013. “Trata-se de uma recuperação satisfatória do emprego formal frente à pandemia da covid-19, apesar do elevado número de desempregados – 14 milhões – que já atinge 14,1% da População Economicamente Ativa (PEA). A previsão é que haja uma redução até o final do ano”, diz Laerte Martins.

Ele acrescenta que, mantida essa tendência frente à pandemia, é viável que até o final deste ano, em Campinas e Região devam ser criados cerca de 60.000 postos de empregos formais, contra as 10.000 vagas geradas em 2019, na pré-pandemia.

Cidades da RMC

Em agosto de 2021, entre as 20 cidades da RMC que, percentualmente, mais geraram empregos estão Nova Odessa, com 2,12% (saldo de 452 vagas, com admissão de 1.349 empregados e 8.970 demissões); e, em segundo lugar, ambas com 1,52% de crescimento ficaram Holambra (saldo de 156 vagas, com 447 admissões e 291 demissões) e Morungaba (geração de 244 vagas contra 172 demissões). Campinas admitiu, em agosto de 2021, 17.881 trabalhadores e demitiu 14.652, apresentando um saldo positivo de 3.229 postos de trabalho que representam uma variação de 0,82% de aumento.

No acumulado do ano, o melhor percentual na criação de vagas coube a Monte Mor – 10,25% -, com 4.554 admissões e 3413 demissões (saldo de 1.141 vagas). Em segundo lugar ficou Artur Nogueira com 9,9% de aumento na oferta de vagas (2.826 contratações e 2.048 desligamentos, com saldo de 778 postos de trabalho com carteira assinada). E, o terceiro lugar coube à Nova Odessa com 8,12% de aumento na quantidade de novas vagas (8.134 admissões e 6.503 demissões e saldo de 1.631 novos empregos formais).

No total, considerando as 20 cidades que formam a RMC, foram abertas 45.418 vagas e encerradas 35.749. O saldo é de 9.669 novos postos de trabalho, apenas em agosto deste ano. No período de janeiro a agosto de 2021, também na RMC, foram realizadas 322.833 contratações e demitidas 266.777 pessoas. O saldo no acumulado do ano foi de 56.056 vagas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE