Reservatório sofre com o assoreamento

A Associação Barco Escola da Natureza, por meio do Programa ???Voluntário Ambiental???, realizou, no início desta semana, mais uma de suas fiscalizações de rotina pelo Reservatório Salto Grande. Na ocasião, além da confirmação de lançamento de esgoto in natura e da proliferação em excesso de plantas aquáticas, a equipe da organização ambientalista identificou um intenso assoreamento por toda a extensão do manancial, que é formado pelo Rio Atibaia.

O diretor da associação, José Roberto Basso, explica que o assoreamento acontece pela falta de cobertura vegetal nas margens dos mananciais. “Aqui, em especial, não temos mais mata ciliar na margem esquerda do reservatório e, frequentemente, sofremos com incêndios no reflorestamento que mantemos do outro lado. Sem árvores para segurar a terra, ela cai no corpo hídrico e, como o fluxo dele é baixo, está quase que parado pela ausência de chuvas, a terra se acumula no fundo da represa, misturando-se com o esgoto”, ressalta Basso.

A Associação Barco Escola da Natureza é uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) nascida em 2000, e que tem como objetivo promover a educação ambiental e colaborar com a conservação do meio ambiente, em especial do Reservatório Salto Grande. A sede da entidade está localizada na Avenida José Ferreira Coelho, 815, Praia dos Namorados, Americana.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE