Reclamações sobre serviços de telecom caem 25%

O número de reclamações de usuários dos serviços de telecomunicações caiu 24,9% em abril de 2021 na comparação com abril do ano passado, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A redução foi registrada mesmo com a manutenção do alto consumo de serviços de telecomunicações neste ano, em razão da continuidade da pandemia da Covid-19, impulsionado pelo teletrabalho, aulas e negócios on-line, entre outras atividades à distância.

Os dados agência mostram que em abril de 2020 foram registradas 260.239 reclamações, já em abril deste ano esse número caiu para 195.373, uma queda de 64.866 queixas em números absolutos.

Todos os principais serviços de telecomunicações apresentaram redução nos últimos 12 meses. A maior queda ocorreu no serviço de TV por assinatura, cujo índice caiu 45,3%, de 26.553 para 14.536. No serviço de internet banda larga fixa as reclamações caíram de 74.217 para 50.937, uma queda de 31,4%, e na telefonia móvel as reclamações caíram 24,4% em abril em relação a abril do ano passado, passando de 122.829 para 92.839. “Os números mostram que os esforços das prestadoras, com mais investimentos e com medidas de autorregulação, estão fazendo efeito para melhorar a qualidade do serviço e a percepção do cliente”, afirmou o presidente executivo da Conexis, Marcos Ferrari.

Mesmo durante a pandemia, as empresas de telecom vêm empenhado esforços para manter a conectividade com qualidade, servindo de base nos negócios e empresas para a transformação digital, minimizando o impacto negativo da crise na economia. Uma análise precisa dos dados sobre reclamações deve sempre adotar o critério da proporcionalidade sobre o universo total de clientes. O setor tem no Brasil cerca de 320 milhões de acessos, entre os serviços de internet, telefonia fixa e móvel e TV por assinatura.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE