Racionamento em 5 cidades da região de Campinas

Cerca de 441 mil pessoas em cinco cidades na região já estão sofrendo cortes no fornecimento de água. Valinhos, Vinhedo, São Pedro, Itu e Cosmópolis adotaram o racionamento por causa da baixa vazão dos mananciais. Em Valinhos, que ontem entrou em estado de emergência, a cidade foi dividida em sete grupos e cada um deles ficará sem água duas vezes por semana, por 18 horas, entre 10h e 4h do dia seguinte. Além do racionamento, Valinhos, a exemplo do que ocorre em Campinas, implantará também medidas que incluem penalização com multa de R$ 336,00 ??? dobrando no caso de reincidência ??? às pessoas flagradas pelos fiscais molhando jardins e quintais, lavando calçadas, tanto residenciais quanto comerciais e lavagem de veículos em residência.Cosmópolis adotou racionamento ontem depois de ter ficado sem energia elétrica na estação de tratamento entre 19h e 3h. A parada no fornecimento ocorrerá das 22h às 7h, intercalando diariamente duas áreas. São Pedro também iniciou ontem o racionamento durante quatro horas por dia, porque mesmo com alertas em carros de som, cartazes e divulgação na mídia local, a Prefeitura encontra dificuldade em conscientizar os moradores sobre o consumo racional. Sem chuvas, o racionamento prossegue diariamente, das 13h às 17h. Em Itu, o abastecimento passou a ser interrompido às 20h e retomado às 4h. A medida vale para toda a cidade e só será revogada quando os reservatórios atingirem o nível normal.
Plano BAs perspectivas de caos hídrico na região das Bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí levou as cidades que integram o Consórcio PCJ a iniciar o cadastramento dos caminhões-pipas de empresas e prefeituras e elencar os poços profundos da região para adotar, se necessário, o chamado abastecimento de salvação.O plano visa garantir, em situação extrema de seca, o fornecimento de 20 litros de água diário por pessoa. Se a ausência de chuva persistir ??? e com o Sistema Cantareira recebendo 5m3/s e retirando 35m3/s ???, os reservatórios secarão em 80 dias e, segundo o consórcio, as represas podem levar até cinco anos para se recuperar. A decisão de adotar esse abastecimento de salvação vai depender de como os reservatórios irão se comportar. Não há perspectiva de chuva até segunda-feira. O grupo de eventos extremos do consórcio se reuniu em Americana e orientou as cidades a declararem estado de emergência. 
Do IG

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE