Quem é Rita Lobo, a modelo que virou a cozinheira mais famosa da Internet

Cozinheira tem programa na TV e é reconhecida pelo seu jeito fácil de ensinar

  Ter talento para cozinhar é algo que se adquire com a prática. Agora, ter talento na cozinha e, ao mesmo tempo, saber ensinar alguém é algo raríssimo. Quando essa combinação se dá, a pessoas certamente terá sucesso. Um desses casos é o da modelo Rita Lobo, um sucesso na internet e na TV por seu modo como ensina receitas a cozinha fácil e atraente.

Rita Lobo e seu modo de cozinhar descomplicado vão ao ar no canal de TV fechada GNT, no programa ‘Cozinha Prática’, de segunda a sexta – com extensão e adaptação em seus livros. Ela tem milhares de seguidores no Instagram e no Twitter. Em suas redes sociais, ela também troca dicas e aconselha as pessoas que estão interessadas em começar a cozinhar.

Mas, antes de se aventurar na cozinha, Rita Lobo teve uma atuação internacional como modelo. Ela estou nos Estados Unidos e desde 1995, escreve sobre culinária. Seus textos foram publicados em diversos jornais, mas ela figurinha carimbada na Folha de S.Paulo. Em 2000, lançou o Panelinha, primeiro site de receitas testadas exclusivamente para internet brasileira.

O ato de escrever foi ganhando força na vida de Rita Lobo. Ela aliou o ato de cozinha ao prazer de ensinar. Até hoje, são quatro livros publicados: “Cozinha de Estar”, “Culinária para bem estar – receitas antiTPM”, “A conversa chegou a cozinha – crônicas e receitas” e o best-seller “Panelinha – receitas que funcionam”.

A base que guia todos os seus trabalhos é uma só: levar você até a cozinha. A mulher loira e olhos claros, que faz sucesso nas telas de TV, aprendeu a cozinhar relativamente tarde – contribuindo para a afinação de um dos principais dons da chef: falar diretamente com quem não sabe nada de cozinha.

Um dos méritos de Rita Lobo é saber explicar, com toda paciência, que quem a lê ou assiste. Um exemplo: ela não usa termos sofisticados ou adianta processos, como se todos soubessem que acontece em uma cozinha. Se é preciso jogar um fio de azeite para dourar uma cebola, é exatamente assim que ela vai descrever o processo. Ela não vai falar para você “refogar” uma cebola.

Seus livros trazer o diferencial se não somente apresentar a receita, mas mostram o caminho para que um bom prato seja preparado. Enquanto uma pessoa faz uma coisa, a outra precisa praticar as técnicas culinárias de forma concomitante. Essa troca é algo fundamental nos ensinamentos de Rita Lobo.

Rita acredita que cozinhar deve ser um assunto da casa toda, e levar cada vez mais gente para a cozinha se tornou uma missão de vida. Outro grande ensinamento pregado por Lobo diz respeito ao contra-ataque aos alimentos ultraprocessados: de acordo com ela, as pessoas não estão mais se alimentando por comida, mas sim por uma imitação.

A cozinheira agrega à sua militância fundamentos científicos, extraídos da parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo. Esse ensinamentos ajudam Rita Lobo a descobrir novas receitas e criar novas combinações, sempre prezando por alimentos saudáveis e que podem ser encontrados facilmente por todos.

Seu principal mantra é que cozinhar pode ser extremamente libertador: gera autonomia e melhores escolhas. Escolhas conscientes são cada vez mais vitais na sociedade moderna, na qual a ritualidade das refeições tem sido corroída pelo fast-food.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE