PSol Americana sob novo comando

A advogada Maria Helena Galhani, 28, assumiu o comando do PSol em Americana. Ao NM, ela falou das metas do partido para este ano e disse qual perfil de americanense vai buscar para a legenda. Leia abaixo a entrevista feita por whatsapp.
Novomomento- Quando assumiu o Psol?
Maria Helena Galhani- No fim de 2018, na convenção municipal

NM- O que pretende fazer este ano?MHG-  Este ano temos alguns objetivos delineados na convenção:
-aproximação dos movimentos sociais da cidade, em especial aos do campo da educação e de pautas identitários-estruturais-crescimento do partido e formação político-teórica da militância– ampliar a nossa comunicação por vias tradicionais e alternativas, especialmente com produção própria de conteúdo.

NM- O partido vai ter candidato a prefeito ou vice? Qual a meta para fazer vereadores?
MHG- Isto também foi pautado na última convenção.
Temos como meta lançar uma chama completa psolista. Com prefeito, vice e vereadores.Mas isso é a meta, consequência do trabalho e tarefas que nos propomos a executar neste período.Tanto é que não temos nomes previamente fixados, mas acreditamos que até a próxima eleição alguns nomes venham a emanar da vontade coletiva da nossa militância, construídos justamente pelo trabalho e participação nas pautas e demandas de Americana neste periodo.
NM- Que perfil de filiado busca. Vai ter campanha de filiação? 
MHG- Quanto a perfil, debatemos também na convenção que não queremos filiar pessoas a todo custo. Nosso entendimento é que a filiação a um partido como um ???relacionamento reciproco??? entre o militante e o partido, de modo que o indivíduo se veja representado na militância e você-versa.Por essa razão, o nosso desejo é que novos filiados venham a ser pessoas com identificação com as pautas do Partido Socialismo e Liberdade, dispostas a construir conosco de maneira prática e teórica, entendendo que a esquerda precisa ter o acúmulo ideológico ligado à prática militante.Assim, até retomando uma das metas que nos propusemos na convenção, queremos pessoas que tenham a sensibilidade e vínculo com pautas sociais, em defesa das minorias e combativas a todo e qualquer tipo de opressão econômica e estrutural. A militância vindo primeiro e a filiação depois, pois seria efetivamente mera celebração de uma situação de fato. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE