Projeto proíbe uso de animais em rituais religiosos

Os vereadores de Sumaré votam, nesta terça-feira (3), o Projeto de Lei que proíbe o descarte de animais mortos em cemitérios humanos e áreas públicas e o uso de animais domésticos ou silvestres em rituais religiosos de qualquer tipo no município. O projeto, de autoria do presidente da Câmara Municipal, vereador Willian Souza (PT), será votado durante a 39ª sessão ordinária, a partir das 18h. 
O PL nº 283/2019 proíbe o descarte de partes de corpos e cadáveres de animais, domésticos ou silvestres, nos cemitérios humanos ou áreas públicas. O vereador argumenta que a Constituição Federal estabelece que todos tenham direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de zelar por sua preservação. 
???Diante disso, é importante citar que o descarte irregular de animais silvestres e domésticos mortos, seja em cemitérios humanos ou em áreas públicas, pode causar doenças nas pessoas que fizerem a recolha do material em decomposição, além de prejudicar as pessoas que frequentam os espaços onde esse descarte incorreto ocorre???, defende Willian Souza. 
O PL também estabelece que fica expressamente vedado no município o uso de animais domésticos ou silvestres em rituais religiosos de qualquer tipo. De acordo com o texto do projeto, para o exercício de cultos religiosos, cuja liturgia provém de religiões de matriz africana, fica permitida a sacralização de animais criados para este fim em cerimônias, desde que o animal seja abatido sem sofrimento ou crueldade e utilizado para alimentação dos participantes da celebração. 
???Nesse cenário, destacamos que o uso de animais em rituais religiosos, que muitas vezes resulta nesse descarte irregular, é condenado e desencorajado pelas autoridades das religiões tradicionais de matrizes africanas, que defendem apenas a chamada ???sacralização???. A sacralização consiste na criação de animais voltados à alimentação humana e no abate deles sem crueldade e sem sofrimento durante celebrações religiosas. Os ritos preconizam ainda que os animais abatidos sejam utilizados para alimentação dos participantes das celebrações???, explica Willian. 
Pela proposta, a fiscalização caberá ao Poder Executivo, por meio do departamento de fiscalização e da Guarda Civil Municipal. O descumprimento do disposto no projeto sujeitará o infrator a multa de R$ 10 mil, e ocorrerá o fechamento do templo religioso. 
ORDEM DO DIA
 
Durante a 39ª sessão ordinária do ano, os parlamentares ainda apreciam outros cinco projetos de lei: o PL nª 42/2019, de autoria do vereador Professor Edinho (Rede), institui o Programa ???Adote uma Lixeira???, o PL nº 308/2019, de autoria do vereador Ronaldo Mendes (PSDB), dispõe sobre o atendimento preferencial a pessoa com fibromialgia; o PL nº 309/2019, proposto pelo vereador Valdir de Oliveira (DEM), institui o uso do Colar de Girassol como instrumento auxiliar de orientação para identificação de pessoas com deficiência não visível. 
O PL nº 324/2019, de autoria do vereador Rudinei Lobo (Republicanos) cria o Dia Municipal de Combate ao Feminicídio; e o PL nº 325/2019, proposto pelo vereador Marcio Brianes (PCdoB), dispõe sobre a religação do fornecimento de água pela empresa concessionária em caso de quitação dos débitos em atraso. 
A Câmara de Sumaré fica na Travessa 1º Centenário, 32, Centro.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE