Procon traz dicas para as compras de fim de ano

Dezembro é sinônimo de lojas cheias, filas nos caixas, pacotes coloridos e muita correria atrás do melhor presente. Muitas vezes a pressa e a tentação de gastar o 13º neste período pode trazer prejuízos ao consumidor. Para evitá-los, a Fundação Procon-SP e o Procon de Americana dão algumas dicas sobre os seus direitos:

1. Fuja das compras de última hora, compre com antecedência.

2. Não compre na primeira loja. Se você já sabe o que quer comprar, pesquise o preço, inclusive nas lojas online e caso decida comprar pela internet, lembre-se de pesquisar, também, o valor do frete.

3. ?? importante conferir se o preço anunciado, seja em panfletos ou internet, é igual ao que está marcado na etiqueta do produto. Se os preços não forem os mesmos, o Procon orienta ao consumidor a resolver o problema com o fornecedor. Caso não se resolva, o consumidor pode tirar uma foto do preço anunciado e levar o comprovante do valor pago para registrar uma queixa no órgão municipal.

4. O preço do produto deve estar exposto ao consumidor de forma clara e visível, para não levar o cliente ao erro.

5. A etiqueta da mercadoria deve constar o preço à vista, a prazo e todas as taxas de juros. Além disso, a aceitação de cheques e cartões é uma liberalidade dos estabelecimentos. Porém, a partir do momento que ambos são aceitos o lojista não pode fazer restrições quanto aceitar cheques de contas recentes. Também não pode impor limite mínimo para pagamento com cartão. No entanto, as lojas não são obrigadas a receber cheques de terceiros, de outras praças ou cheques administrativos, porém deve informar esta condição previamente.

6. Problemas com o produto: o Código de Defesa do Consumidor estabelece prazo de 30 dias para reclamações sobre vícios aparentes ou de fácil constatação no caso de produtos não duráveis e de 90 dias para itens duráveis, contados a partir da constatação do problema.

7. Na compra de brinquedos ou eletroeletrônicos, verifique as informações de uso, selo de conformidade do Inmetro, qual é a idade indicada e a garantia.

8. Fique atento à política de troca dos estabelecimentos. Lojas físicas não são obrigadas a efetuar trocas por causa do tamanho do produto ou porque o presenteado não gostou. Lembre-se que o fornecedor só é obrigado a trocar o produto em caso de defeito.

9.  Se o consumidor realizar compra via internet, telefone, catálogo ou a domicílio, ele pode desistir do contrato e pedir o dinheiro de volta no prazo de sete dias, a contar da assinatura, do ato de recebimento do produto ou serviço, conforme o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor. O direito de arrependimento vale para qualquer produto ou serviço mesmo sem defeito. Lembre-se: os custos da devolução são do vendedor.

10. Seja qual for a escolha, a nota fiscal deve ser exigida. Ela é um documento importante no caso de eventual utilização da garantia.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE