Pref tenta recuperar margem do Quilombo

Mais uma área pública margeando o Ribeirão Quilombo foi recuperada através do plantio de mudas de árvores nativas pela Prefeitura de Nova Odessa. Esta semana houve a complementação do plantio realizado no dia 11 de outubro, quando o Consórcio das Bacias dos Rios PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí) lançou as ações de recuperação do ribeirão. Na primeira etapa tinham sido plantadas 100 mudas e agora mais 170 foram inseridas no local, perfazendo toda a área disponível.
“Restava um espaço e aproveitamos para complementar o plantio, fechando toda a área que margeia o (Ribeirão) Quilombo próximo da Vila Azenha”, explica a diretora de Meio Ambiente, Fernanda Dagrela. O trabalho foi realizado através do setor de Parques e Jardins, plantando espécies como Ipê Branco e Amarelo, Paineira, Goiabeira, Pitangueira, Canelinha, Ingá-de-metro, Jambolão, Angico e Cedro.
As 270 mudas vieram do Viveiro Municipal e também por meio de doação do Consórcio PCJ ao Município. A Secretaria de Meio Ambiente colocou estacas para afixar as mudas e depositou material orgânico proveniente da tritura de podas de árvores na cidade. “?? o processo completo de adubação, para as mudas se desenvolverem. A manutenção é mais trabalhosa do que o plantio”, detalha Dagrela.
A diretora de Meio Ambiente defende a importância de ações do tipo. “São 270 novas vidas em nossa cidade, 270 purificadores e climatizadores de ar, 270 novos lares para os pássaros, 270 fontes de alimentos para os animais e 270 fontes de absorção de água e recarga do lençol freático”, descreve Dagrela. “Se tornarão um lindo bosque para fornecer sombra e qualidade de vida à população”, completa.
A????ES – No dia 11 de outubro, o Consórcio PCJ lançou as ações de recuperação do Ribeirão Quilombo, com plano de investimento para os próximos 10 anos, somando mais de R$ 165 milhões nas áreas adjacentes de matas ciliares e o combate às enchentes em bairros ribeirinhos. Entre as espécies plantadas na ocasião inicial estavam 28 mudas de Ipê Branco, em comemoração aos 28 anos do órgão.
“Nova Odessa tem feito a ‘lição de casa’ quanto ao meio ambiente, desassoreando represas para armazenar mais água, recuperando nascentes e aumentando a cobertura vegetal, por meio de plantios em diversas áreas, urbanas e rurais”, destaca o prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, presidente do Consórcio PCJ. “O trabalho de recuperação do Ribeirão Quilombo foi iniciado”, cita.
Para a recuperação de matas ciliares no Quilombo será necessário o plantio de 280 mil mudas nativas, com aportes financeiros de R$ 5,7 milhões, o que demandará investimentos de R$ 570 mil por ano até 2027. Já para o projeto de contenção de cheias e construção de 11 reservatórios, a contribuição é bem maior, sendo necessários US$ 50,7 milhões, que pelo câmbio atual passa de R$ 160 milhões.
Investimentos em tratamento de esgoto também precisam ser realizados nos municípios. O Plano das Bacias PCJ prevê que toda a região tenha 100% de coleta e tratamento dos efluentes até o ano de 2020. No caso do Quilombo, os tratamentos mais sofisticados, como secundário e terciário, também são necessários, para melhorar a condição do ribeirão, hoje destinado apenas à navegação e paisagismo.
A Bacia do Ribeirão Quilombo abrange um total de seis municípios: Americana, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia, além de parte de Paulínia e de Campinas. O curso d’água possui extensão de 50 quilômetros desde a sua nascente, em Campinas, até a sua foz, no Rio Piracicaba, no território de Americana. A bacia possui 396 km², caracterizada por ocupação predominantemente urbana.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE