Pós-Anhanguera, em Nova Odessa, terá água encanada

 Pós-Anhanguera, em Nova Odessa, terá água encanada
Os bairros do Pós-Anhaguera, em Nova Odessa – chácaras Acapulco, Las Palmas e Recreio Represa – que possuem 479 proprietários de imóveis vão passar a ter água encanada. A assinatura do contrato de financiamento entre a CEF (Caixa Econômica Federal) e a Coden Ambiental, que vai garantir, através do programa “Saneamento Para Todos”, água encanada na torneira de todos os imóveis daquela região, pondo fim à uma reivindicação dos moradores que perdura desde a década de 1960, quando os bairros foram criados, ou seja, 60 anos, aconteceu nesta quarta-feira.
O financiamento foi assinado pelo prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza e pelo diretor-presidente da Coden Ambiental, Ricardo Ongaro. Celso Nucci, gerente de filial, representou a Caixa Econômica Federal. O diretor-financeiro da empresa de economia mista, Daniel Cia Lorençatto também acompanhou a celebração do acordo.
Serão construídos na região do Pós-Anhanguera um reservatório com capacidade para 250 mil litros de água; uma adutora com mais de 2,5 mil metros de extensão para levar o produto até os imóveis; 11,6 mil metros de rede de distribuição e 479 ligações prediais de água, totalizando pouco mais de R$ 3,2 milhões em investimentos. Em julho do ano passado, o prefeito Bill esteve em Brasília, onde se reuniu com representantes do extinto Ministério das Cidades (hoje, Ministério do Desenvolvimento Regional) para pleitear a liberação dos recursos do programa “Saneamento Para Todos”.
“Eu posso dizer, com total convicção, que essa é uma obra muito especial. Passaram-se várias administrações e a reivindicação dos moradores nunca foi atendida. Eu estive aqui em Campinas, na Caixa Econômica, diversas vezes, participando de inúmeras reuniões e apresentando diversos projetos. Fui para Brasília, me reuni com representantes do extinto Ministério das Cidades, mostrei a eles a importância desta obra para os quase 500 proprietários de chácaras e hoje, depois de um trabalho muito grande, estou assinando o contrato que garantirá a liberação do recurso”, afirmou o prefeito Bill.
Ricardo Ongaro, diretor-presidente da Coden Ambiental, disse que a licitação para contratar a empresa que ficará responsável pela construção do reservatório, da adutora, da rede de distribuição e das ligações nos imóveis deve ser aberta em até 90 dias. “O Saneamento Para Todos é um programa do governo federal e ele permite que a cidade defina se investirá no tratamento de água ou esgoto. Nossa prioridade, neste momento, é levar água para os bairros de chácaras lá do Pós-Anhanguera. E a Coden Ambiental foi selecionada graças a sua saúde financeira. Teremos 30 meses de carência, contados a partir da assinatura deste contrato, para iniciar o pagamento, com 240 meses para quitar o financiamento”, explicou Ongaro.
ETA 2. A Coden Ambiental já investe na região do Pós-Anhanguera, com a construção da ETA Santo Ângelo, a segunda estação de tratamento de água do município. A obra, iniciada em janeiro de 2019, coloca Nova Odessa em sintonia com o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH). Ao todo, uma vez que são duas etapas, a ETA está orçada em quase R$ 5 milhões e deve entrar em funcionamento no segundo semestre deste ano. Ela terá capacidade para tratar 3,6 milhões de litros de água por dia, vai beneficiar diretamente 11 bairros e aumentará a capacidade de tratamento de água do município para 105 mil moradores.
“Estamos administrando Nova Odessa para o futuro. Desde 2013, não paramos de investir e pensar em novas formas de produzir água. Investimentos na recuperação de nascentes, no combate às perdas no sistema de abastecimento, estamos construindo nossa segunda estação de tratamento e vamos, agora, levar água na torneira de todos os imóveis do Pós-Anhanguera”, reforçou Bill.
Atualmente, a estação de tratamento de água do município trata, em média, 14,5 milhões de litros por dia para atender uma população de 60 mil habitantes. Localizada no Jardim Bela Vista, a unidade é responsável pelo abastecimento de 100% dos imóveis dos bairros urbanos e pela maior parte do abastecimento das chácaras de veraneio do município.
INVESTIMENTOS. Com mais de R$ 50 milhões em investimentos nos últimos sete anos, a Coden reduziu o índice de perdas de água tratada no sistema (água que se perde entre os reservatórios e as residências) de 45,1% em 2012 para 26% em 2019 e ampliou a disponibilidade de água na rede. Em 2013, a empresa tratava 17,5 milhões de litros de água por dia para atender toda a cidade. Hoje, a companhia consegue atender uma população maior tratando 3 milhões de litros a menos.

Relacionados