Por Sulamericana, Americana abre guerra com CBB

NOTA OFICIAL ADCF UNIMED Em virtude de nota oficial emitida hoje (24) pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB) referente ao Sul-americano Feminino de 2014m a ADCF Unimed, clube gestou do basquete feminino de Americana, vem a público esclarecer que: 1) Desde o início da Liga de Basquete Feminino, nunca a indicação do campeão brasileiro foi referente ao campeonato do ano anterior e sim do ano atual; 2) Em 2012, o Sul-americano foi realizado com a presença de Americana (campeão da LBF em 2012) e Ourinhos (último campeão do Sul-americano) e não com o campeão da LBF do ano anterior (Santo André). 3) A Confederação Brasileira de Basquete, deveria, sem interpretar sua opinião, indicar para a ABASU (Confederação Sul-americana de Basquete) o time campeão de 2014, que seria definido no máximo 14 dias após o período informado. 4) A ABASU, acostumada com as regras de classificação do Sul-americano, deveria aguardar até o final do campeonato de 2014 para que a CBB fizesse a indicação, o que, em hipótese alguma, traria problemas de organização. 5) A ABASU, assim como a CBB, sabem e conhecem que quando se realiza um Sul-americano de Clubes, o único clube garantido é o último campeão sul-americano. Agora, vamos aos fatos e às verdades. O Equador não quer sediar o torneio com duas equipes brasileiras, pois sua equipe provavelmente não estaria na final, avaliando pelo histórico de 2012. Sabendo disso, a ABASU concordou com essa condição para realizar o Sul-americano e simplesmente “rasgou” a regra de classificação natural de estar no torneio o ultimo campeão sul-americano (Americana) e o atual campeão da LBF (que é também Americana, mas que, por ser também o atual campeão sul-americano, passaria a segunda vaga para o vice-campeão de 2014, o Sport Recife). Ainda assim, como forma de atender a todos, a ADCF Unimed sugeriu tanto à CBB quanto à ABASU, que o Sul Americano com 8 equipes (8 países) seja realizado com 9 equipes, formando-se duas chaves, sendo que em uma delas estariam as duas equipes brasileiras. Assim não haveria dois brasileiros na final. Infelizmente, ao invés de resolver o problema, tanto CBB como ABASU estão utilizando o precioso tempo para literalmente empurrar o problema criado por eles mesmo de um para o outro. Diante de tudo que foi apurado até este momento, os contatos realizados e somado a nota oficial da CBB, aumenta ainda mais nossa indignação por duas entidades tão importantes para o basquete brasileiro. Duas entidades que erraram na condução de um campeonato que para os clubes é sinônimo de desejo.Sugerimos à ABASU e à CBB que, ao invés de divulgarem notas ou mesmo passarem a responsabilidade de uma para outra, trabalhem em conjunto no objetivo de resolver o problema criado pelas próprias entidades. Que o presidente da CBB, presidente da ABASU e presidente da Confederação do Equador invistam 5 minutos do dia em uma conferência telefônica e discorram sobre o problema e encontrem uma solução (novamente, a ADCF Unimed apresentou uma solução conforme destacado acima). A ADCF Unimed, representada pelo seu presidente Ricardo Molina Dias, informa ainda que, em respeito ao basquete brasileiro, em respeito aos torcedores de todo o Brasil, principalmente os de Americana, além de todas atletas, comissão técnica, patrocinadores, continuará lutando pela participação da equipe de Americana, atual campeã brasileira e sul-americana no Sul-americano 2014 e deseja serenidade e comprometimento das entidades envolvidas na busca da solução.
Link da nota da CBB

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE