Polícia acusa negligência em morte de menina

A Polícia Civil de Santa Bárbara d’Oeste trabalha com a hipótese de negligência familiar em relação à investigação da morte da menina Vitória Camile de Andrade, de cinco anos, durante incêndio em uma residência localizada à Rua João Gomes Moreira, no Jardim Santa Rosa II, Zona Leste da cidade, no último domingo (19). O caso vem sendo acompanhado de perto pelo delegado Gabriel Fagundes de Toledo Neto, titular do 2º Distrito Policial do município.
“Aqui os indícios de negligência estão evidenciados. A menina brincava com uma boneca, de atear fogo em uma boneca e outras vezes ela já tinha feito isso e os pais não perceberam, não tomaram nenhuma providência para se evitar isso culminando com essa tragédia. Eles têm dever legal de zelar pela integridade dos filhos. Eles já foram ouvidos em declarações e se declararam dependentes químicos de crack, que é uma droga fortíssima, uma substância muito alucinógena e a negligência está quase que evidenciada. O crack causa um abalo significativo na conduta e uma das piores drogas que existe, a mistura da cocaína com o bicarbonato e altamente alucinógena”, afirmou o delegado.
Fagundes revelou ainda os próximos passos da investigação. “O próximo passo é ouvir mais testemunhas e já ouvimos nesta segunda-feira uma vizinha do casal que relatou que as brigas eram frequentes. A menina permanecia quase o tempo todo trancada dentro do quarto, o menino ficava na rua sem alimentação e cuidados básicos de higiene e os maus-tratos estão quase que evidenciados”, contou.
A pena para esse tipo de infração, supostamente cometida pelos pais da criança, é de três anos. O delegado, entretanto, descartou a prisão, pelo menos nesse início das investigações. (SBN)
 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE