PF aponta que agressor de Bolsonaro agiu sozinho

O inquérito da Polícia Federal, que investiga o ataque contra Bolsonaro no último dia 6 de setembro, descartou a tese de que Adélio Bispo, autor da facada, teria sido pago para executar o crime. Segundo a apuração, o dinheiro em posse de Adélio tem ‘origem sustentável’ – ou seja, compatível com a renda de sua ocupação como garçom.

“A PF concluiu que o dinheiro localizado com Adélio tem apenas ???origem sustentável???. O cartão de crédito internacional dele foi  emitido automaticamente pelo banco em uma conta-salário de outra empresa em que ele trabalhou.”
“A PF também concluiu que o computador pessoal localizado com Adélio não era recente nem caro, ao contrário do propagado em redes sociais. O aparelho era antigo e estava quebrado, tendo sido usado pela última vez no ano passado”.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE