Petrobras tem lucro recorde e paga ‘bolada’ a acionistas

(Reuters) – A Petrobras registrou em 2018 lucro líquido de 25,8 bilhões de reais, após quatro anos consecutivos de prejuízos, informou a petroleira nesta quarta-feira, mas ainda há ???muito a fazer e muitos desafios a superar???, na avaliação do presidente, Roberto Castello Branco. Foi o primeiro desempenho positivo depois de estourar o escândalo de corrupção investigado pela operação Lava Jato, no início de 2014.
No entanto, o resultado ficou muito abaixo de estimativa da Refinitiv I/B/E/S, de 34,9 bilhões de reais, em grande parte devido a baixas contábeis e acordo de pagamento com a agência reguladora ANP no quarto trimestre, mostraram dados no relatório financeiro da empresa do ano passado.
Excluindo o impacto dos itens especiais, o lucro líquido seria de 35,97 bilhões de reais e o Ebitda ajustado de 122 bilhões.
O resultado ocorreu após a Petrobras ter reportado um prejuízo líquido de 446 milhões de reais em 2017.
O desempenho no ano, segundo a petroleira, refletiu o maior lucro operacional e a melhora do resultado financeiro, resultante de menor despesa com juros e de maiores receitas financeiras devido aos ganhos com a renegociação de dívidas do setor elétrico.
Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado no ano passado somou 114,8 bilhões de reais, ante 76,5 bilhões de reais em 2017. No quarto trimestre, indicador somou 29,16 bilhões de reais.
A receita de vendas da Petrobras totalizou 349,8 bilhões de reais em 2018, aumento de 23 por cento ante 2017, refletindo os maiores preços dos derivados de petróleo no mercado interno, principalmente diesel e gasolina, e das exportações, afirmou a empresa.
ACIONISTASO resultado líquido permitirá remuneração total aos acionistas de 7,1 bilhões de reais no exercício de 2018, ou 0,2535 real por ação ordinária e 0,9225 real por preferencial.
Após um importante plano para reduzir a dívida, a empresa registrou no fim de 2018 indicador dívida líquida sobre Ebitda ajustado de 2,34 vezes, inferior à meta de 2,5 vezes, e o endividamento líquido alcançou 69,4 bilhões de dólares, uma queda de 18 por cento ante 2017.
A taxa de acidentes registráveis alcançou 1,01 acidentes/ milhão de homens-hora, com decréscimo de 6,5 por cento em relação a 2017, porém ligeiramente superior ao limite de alerta para 2018, de 1,0, informou a companhia.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE