Petista detona tentativa de OS na Saúde

??nico a votar contrariamente ao projeto que adéqua a legislação local para possibilitar a gestão de alguns setores municipais em parceria com Organizações Sociais (OSs), o vereador professor Antonio (PT), acredita que o modelo não é necessário em Nova Odessa. Na sessão de segunda-feira (3) foi aprovado projeto do Poder Executivo alterando a legislação municipal que rege os contratos entre Prefeitura e OSs nas áreas de Saúde, Educação e Cultura.
Recentemente a Administração Municipal abriu um chamamento público para qualificação de entidades ligadas ao atendimento médico. No entanto, foram identificados conflitos com a legislação federal sobre o tema e uma comissão não habilitou os três institutos interessados. O processo foi retomado esta semana e as principais mudanças determinadas pela nova lei estão na composição do conselho de fiscalização e nas exigências de publicidade financeira.
O professor Antonio Justifica o seu posicionamento contrário: “Não é apenas o caso de Nova Odessa. Sou contra a gestão por OSs como um todo. Se fossem outros tipos de serviços, tudo bem, mas áreas como a Saúde Municipal não devem ser geridas pela iniciativa privada”. O vereador não acredita em melhorias reais para a Saúde com a parceria através de OSs.
“O dinheiro é um só, ninguém vai chegar aqui e injetar recursos além dos que o município dispõe na Saúde”, opina. “Hoje temos um déficit de aproximadamente 50 profissionais na Saúde, entre médicos, enfermeiros e assistentes sociais”, revela o professor Antonio. O vereador pelo PT cita que os últimos concursos públicos não foram bem-sucedidos na contratação de médicos. “Oferecendo 2,7 mil reais não vai atrair médicos mesmo”, critica.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE