Petista cobrador das empresas de ônibus

O vereador Moacir Romero (PT) quer saber de onde veio a solicitação das empresas de um aumento da tarifa de ônibus para R$ 4,14. ???Um valor absurdo, injusto e abusivo, pois não prestam um serviço de qualidade, e ainda violam, mesmo que indiretamente, o direito de ir e vir do cidadão???, afirma.
???Não é possível que a população de Americana continue pagando pelo desrespeito que as empresas de ônibus tem com quem usa o serviço de transporte coletivo, e a prefeitura compactue com o abuso dessas empresas, cobrando duas, três, quatro vezes da população e ofereça um serviço pífio???, acrescenta Romero. O vereador lembra no requerimento que a prefeitura e as empresas entraram em um acordo para elevar a tarifa de R$ 2,70 para R$ 3,15, mediante a retirada de um processo das concessionárias contra a Administração e o fim do subsídio de R$ 500 mil que recebiam do poder público. Romero destaca também ter solicitado cópia do acordo entre a prefeitura e as empresas, o que não foi respondido.  Ainda segundo o parlamentar, as concessionárias não podem apresentar débitos com o município, mas devem cerca de R$ 6 milhões em ISS (Imposto Sobre Serviços) aos cofres públicos, segundo informações da própria prefeitura. No requerimento, o parlamentar pede que seja fornecida cópia do processo de análise e estudo que foi entregue à prefeitura em março de 2015, bem como do acordo realizado entre poder público e concessionárias. Pergunta se as empresas receberam algum subsídio em 2015, quantos pontos de ônibus foram construídos nos últimos cinco anos e se existem pontos sendo construídos como contrapartida de construtoras no município. Pede, ainda, cópia de relatório com o Índice de Passageiros por Quilômetro (IPK) de 2013 a 2016. O requerimento será discutido e votado pelos vereadores em plenário, durante a sessão ordinária de quinta-feira (21). 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE