Perfil pessoal ou profissional: devo excluir, unir ou modificar minhas redes sociais?

Já faz tempo que as redes sociais deixaram de ser apenas um ambiente de relacionamentos interpessoais e de interação social. Hoje, grande parte das plataformas são usadas como vitrines de produtos, serviços, marcas e inclusive de autopromoção. Com as mudanças progressivas no modo de ser e estar presente nessas redes, surge o questionamento: como deve ser meu perfil no meio virtual?

 

Primeiro, precisamos entender a diferença entre cada tipo de perfil: o pessoal, em que se explora a vida, o cotidiano, convívio com a família, lazer, etc. O profissional, em que a profissão é destaque nas postagens, a rotina de trabalho, os projetos que desenvolve, e, por fim, o corporativo, em que o produto, marca ou serviço é o protagonista da página.

 

É sabido, porém, que grande parte dos perfis mescla em uma mesma página diferentes representações, ou seja, um perfil pessoal que vende produtos. Um profissional em que a marca da empresa também tem destaque ou um corporativo, em que a pessoa é tida como protagonista. Chega um ponto em que as pessoas me perguntam: qual perfil merece mais minha atenção? Em qual deles devo investir? Devo fortalecer minha marca pessoal ou profissional? Mas garanto: não existe uma resposta exata para essas perguntas, pois cada caso é um caso.

 

Para mim, o mais importante é entender o momento de separar os perfis. Se você está começando um projeto e já tem um perfil pessoal com vários seguidores, não é problema começar expondo seus produtos ou serviços nessa página. Ela será uma escada até que haja a transição para a conta profissional. Temos que saber identificar também qual é o momento de investir totalmente nessa mudança sem correr o risco de confundir os seguidores e visitantes.

 

Para isso, analise: sua marca começou a ganhar força? Então, está na hora de ter um perfil profissional, sem deixar de usar sua conta pessoal para interagir com amigos, familiares e seguidores. Uma estratégia é usar diferentes perfis em diferentes plataformas, ou seja, usar o Instagram para o perfil profissional e aplicando o landing page para compartilhar no Facebook, que se tornaria sua página pessoal.

 

Porém, mesmo que você tenha diferentes perfis, é fundamental ter coerência entre as contas, transmitindo os mesmos valores e interesse como profissional, pessoal ou marca.

 

Por fim, destaco que um perfil de sucesso demanda tempo e investimento, e que antes de criar uma conta, avalie se você terá disponibilidade para mantê-la com conteúdo relevante e suficiente. Seja qual for sua decisão, não se esqueça: 
pessoas são as responsáveis por criar marcas. Não deixe de dar seu ‘tom pessoal’ nos produtos e serviços que produz. O toque mais íntimo, mesmo sendo um perfil corporativo, transmite confiança entre perfil e seguidores.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE