Edit

Pr Miguel quer melhora no cruzamento Machadinho e Juliana, estudo para condomínio vertical

O vereador Pastor Miguel (Republicanos) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Americana uma indicação em que pede ao Poder Executivo estudos para melhorias no cruzamento das avenidas Nossa Senhora de Fátima com Ângelo Pascote, no bairro Machadinho. No documento, o parlamentar relata ter sido procurado por pessoas que transitam diariamente pelo local solicitando melhorias e, em visita ao cruzamento, em um curto intervalo de tempo presenciou casos de direção perigosa, assim como contornos irregulares.

 

“Isso coloca em risco a vida dos que transitam por ali. Vale lembrar que infelizmente acidentes fatais já foram registrados no cruzamento. Por isso, solicitamos estudos em critério emergencial para possíveis alterações na via, auxiliando na fluidez do trânsito e, sobretudo, resguardando a integridade de todos”, destaca o autor.

 

A indicação será relacionada na pauta da sessão ordinária de quinta-feira (30) e encaminhada ao Poder Executivo para análise e atendimento.

 

Prof.a Juliana pede estudo de impacto de condomínios verticais

A vereadora Professora Juliana (PT) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Americana um requerimento em que pede informações ao Poder Executivo sobre a análise e avaliação do EIV (estudo de impacto de vizinhança) e RIV (relatório de impacto de vizinhança) no processo para a aprovação da construção de condomínios verticais em Americana. No documento, a parlamentar destaca que a construção de condomínios verticais provoca um aumento considerável da densidade populacional (número de habitantes por metro quadrado), aumentando por consequência a demanda por toda a infraestrutura urbana destinada a garantir a qualidade de vida da população.

 

“Americana tem visto um alto número de empreendimentos aprovados, então é importante termos informações sobre os estudos de impacto de vizinhança, que são instrumentos que contribuem para a conciliação entre os interesses do empreendedor e o direito a uma cidade sustentável, seja das pessoas que moram, trabalham ou transitam no entorno do empreendimento”, frisa Juliana. No requerimento, a autora questiona se o EIV tem sido exigido para a aprovação dos empreendimentos e pede que se anexe cópia dos estudos referentes aos empreendimentos aprovados nos exercícios de 2019 e 2020 e dos que estão em análise ou já aprovados em 2021. Pergunta também qual setor da prefeitura faz a análise do EIV, indicando o profissional responsável e sua qualificação.

 

O requerimento será discutido e votado pelos vereadores em Plenário na próxima sessão ordinária, que acontece nesta quinta-feira (30).

 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE