Paralisia Política

A atual situação do país é comparada à Paralisia do Sono*…  ?? como se estivéssemos inanimados diante do mundo real aí fora, desejando pedir socorro, se mover e voltar à respirar,  mas nada pudéssemos fazer. A diferença é que na paralisia do sono, basta um comando cerebral e nosso subconsciente libera-nos da estagnação,  já na atual situação política do Brasil, não há comando que pareça resolver.
Mas afinal, o que exatamente e de fato nos trouxe até esse cenário apocalíptico? São inúmeros os fatores, dentre esse a total falta de investimentos em infraestrutura, que tem levado o país a perder competitividade tanto no ambiente interno quanto externo.
O segundo motivo certamente foi a falta de planejamento estratégico de longo prazo para nossa economia. Reagir aos fatos apenas, não só não trouxe soluções, como abriu brechas para que novos problemas fossem gerados de forma fractal e com previsão do mesma fracasso anterior. Também conhecida como Operação Tapa buraco…
O terceiro e mais significativo talvez, seja a submissão da política econômica à política partidária, causando desestruturação da máquina pública. Esse evento viciante, atingiu todos os setores da sociedade, dentre eles a Educação, Saúde Pública e a Segurança.
E o quarto motivo seria sem dúvidas, a falta de credibilidade que o Brasil exala. Diante de escândalos cumulativos, corrupção à flor da pele e impunidade sobre impunidade, haverá necessidade de um longo prazo de tempo, para contar com apoio dos diversos setores da economia nacional. Afinal, enquanto a agricultura, indústria e serviço esforçavam-se para atingir patamares de produtividade e competitividade, o Governo falhou na Infraestrutura, Política Fiscal e no Planejamento Estratégico. O ajuste fiscal é inevitável para provocarmos uma reversão da atual situação econômica do Brasil! Seria nosso Zé Gotinha contra a Paralisia Política  (PP). Quanto à esse fato não há argumentos. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE