‘Parada Gay’ de Sumaré pode entrar para o calendário oficial

A Parada da Diversidade de Sumaré, que este ano chegou à 7ª edição, poderá ser incluída no Calendário Oficial de Eventos do Município. O evento tem por objetivo a divulgação e a conscientização da população sumareense contra a homofobia, bem como dar visibilidade à cultura e aos direitos da comunidade LGBT. A proposta de incluir o evento no calendário é do presidente da Câmara Municipal, vereador Willian Souza (PT), que apresentou o Projeto de Lei nº 336/2019 à secretaria da Casa. De acordo com a proposta, que precisa tramitar pelas comissões internas antes de ser votada, a Parada da Diversidade de Sumaré será realizada no primeiro domingo do mês de dezembro. As secretarias municipais de Saúde, Mobilidade Urbana e Rural, Esporte, Cultura e Lazer e a Guarda Municipal poderão organizar, junto a entidades representativas da comunidade LGBT, os meios de divulgação e de segurança, além de assegurar a boa execução do evento, como trajeto a ser percorrido e apresentações culturais. Será garantida ainda a participação da sociedade civil, entidades, universidades, empresas privadas e a imprensa na realização do evento, bem como na doação de recursos e patrocínios. ???A intenção desta propositura é fomentar a conscientização dos direitos da comunidade LGBT e combater a homofobia que, de acordo com recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), configura-se como crime???, argumenta Willian Souza. As paradas do movimento LGBT tiveram origem nos Estados Unidos, em 1969, após uma batida policial feita no bar Stonewall, frequentado por gays e lésbicas em Nova York, acabar com a prisão e o espancamento de várias pessoas. A violência levou a uma reação que reuniu cerca de dois mil manifestantes nas ruas da cidade no dia 28 de junho daquele ano, dando origem ao episódio conhecido como ???Revolta de Stonewall???. Desde então, diversas cidades em todo o mundo organizam suas paradas. O Brasil se destaca neste cenário, com a maior parada LGBT do mundo, realizada anualmente em São Paulo, que chega a receber 3 milhões de pessoas. Em Sumaré, a parada é realizada desde 2013, quando foi criada a Associação da Diversidade Sumareense, fundada por um grupo de amigos que decidiram lutar contra a homofobia no município. Em 2019, a parada realizada no dia 1º de dezembro levou cerca de 5 mil pessoas para a Avenida Rebouças

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE