Pandemia não deve acabar este ano, alerta OMS

da DeustcheWelle no Brasil- Apesar dos avanços na vacinação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta segunda-feira (01/03) que é irrealista pensar que a pandemia de covid-19 terminará até o fim deste ano. O diretor de emergências sanitárias da agência, Michael Ryan, avalia que a imunização de grupos de risco ajudará a diminuir a pressão sobre hospitais, mas que o coronavírus ainda está “no controle”.

“Seria prematuro e irrealista acreditar que acabaremos com o vírus até o final deste ano, mas acho que podemos acabar com as internações e mortes, acabar com a tragédia associada à pandemia”, declarou Ryan em entrevista coletiva. “O principal objetivo agora é manter a transmissão do vírus tão baixa quanto possível”, acrescentou.

O diretor destacou o aumento global do número de novos casos registrado na semana passada, após seis semanas consecutivas de queda, e disse que a situação mostra que o coronavírus ainda está no controle da pandemia.

“Se as vacinas começarem a ter impacto, não apenas nas mortes e nas internações, mas também na dinâmica de transmissão, então acho que vamos acelerar o controle da pandemia”, avaliou Ryan, apontando que ainda há um “forte desafio” a ser enfrentado.

Aumento de infecções no mundo

A OMS registrou na semana passada um aumento no números de casos de covid-19 na Europa, nas Américas, no Sudeste Asiático e no Mediterrâneo Oriental. Segundo o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, esse desenvolvimento é “decepcionante, mas não surpreende”.

“Parte disso se deve ao relaxamento de medidas de saúde pública, à circulação contínua de variantes e a pessoas baixando a guarda”, afirmou Ghebreyesus. “As vacinas ajudarão a salvar vidas, mas se os países confiarem apenas nos imunizantes, estão cometendo um erro. Medidas de saúde pública básicas continuam sendo a base da resposta.”

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE