Orquestra Sinfônica de Piracicaba abre Temporada 2018

No sábado (24), a OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba) completa 118 anos de trajetória artística com a estreia da Temporada 2018, sob a batuta do maestro Jamil Maluf. As apresentações acontecem às 17h30 e às 20h, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, o Teatro do Engenho. O patrocínio é da Raízen, Hyundai e Oji Papéis Especiais, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura. Para este ano, estão confirmadas participações de solistas e maestros consagrados no Brasil e no exterior. A entrada é gratuita.

A Sinfonia nº 6, Patética, é o grande destaque da estreia. Considerada a peça mais emblemática da carreira do russo Tchaikovsky, é também a sua última sinfonia, apresentada nove dias antes de sua morte. “Com essa obra, o compositor quebrou com os conceitos comuns de uma sinfonia. Ao contrário do sugere o título, a palavra Patética vem do grego ‘pathos’, ou seja, carregada de emoções e de sentimentos”, explica o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da OSP.

A intenção do maestro é que a cada temporada o público seja prestigiado com uma obra de Tchaikovsky, um dos mais importantes compositores românticos de seu tempo. Tanto é que, em 2017 e 2016, as estreias dos concertos contaram com as Sinfonias nºs 4 e 5, respectivamente, e, em 2015, foi apresentada a Sinfonia nº 2 (Pequena Russa).

O programa de estreia traz também a Abertura da ópera Nabucco, de Giuseppe Verdi, conhecida do grande público por conter o famoso coro “Va, pensiero”, e que tornou-se símbolo do nacionalismo italiano.

Em 2018, as peças selecionadas destacam importantes obras sinfônicas, de diferentes períodos. Entre elas estão a Sinfonia nº 1 (Primavera), de Schumann; a Sinfonia nº 9, de Shostakovich; a Sinfonia nº 3 (Pastoral), de Ralph Vaughan Williams; a Sinfonia nº 1, de R.Glière; e a Sinfonia nº 1, de Carl Nielsen.

Para este ano, houve mudança nos horários das apresentações: às 17h30 acontece a palestra O Meu Concerto de Hoje, seguida do ensaio geral da OSP, novamente aberto ao público. O concerto oficial acontece às 20h.

NOMES CONFIRMADOS ??? Entre os solistas confirmados para a Temporada 2018 está o violinista norte-americano William Hagen, de 25 anos, vencedor do Queen Elisabeth Competition, um dos concursos mais desafiadores e de prestígio para instrumentistas. Também da safra de revelações está o violoncelista Luiz Fernando Venturelli, o brasileiro mais jovem a se apresentar no Carnegie Hall, em Nova York.

Ao piano, estão garantidas a participação dos solistas André Mehmari, um dos mais completos e talentosos músicos em atividade no Brasil, e Marcelo Bratke, que já fez concertos em salas em Nova Iorque, Tóquio e Áustria.

A Temporada 2018 conta ainda com a participação de Elisa Fukuda, mestra do violino que formou uma geração de profissionais de sucesso e integrou o corpo docente da Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle) na década de 80.

Além disso, a OSP recebe o tenor Jean William, que se apresentou para o papa Francisco em sua visita ao Brasil e frequentou os mais renomados palcos internacionais, entre eles o Avery Fisher Hall e o Lincoln Center, ao lado do maestro João Carlos Martins.

Dos maestros convidados, dois nomes já estiveram nas temporadas anteriores da OSP: Thiago Tavares, regente assistente da Orquestra Experimental de Repertório, e Erica Hindrikson, regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal e professora da Escola Municipal de Música, ambas do Theatro Municipal de São Paulo. Há, ainda, Edilson Ventureli, regente titular da Orquestra Juvenil Heliópolis e regente adjunto da Orquestra Sinfônica Heliópolis.

Reconhecida por leis municipal e estadual como entidade de utilidade pública, a OSP se mantém a partir de subvenção pública, proveniente da SemacTur (Secretaria da Ação Cultural e Turismo) e da iniciativa privada, via leis federal e estadual de incentivo. A Temporada tem o copatrocínio do Occitano Apart Hotel, o apoio institucional da Empem, Oscip Pira 21 e Cultura Artística, e apoio de mídia da Rádio Educativa FM.

A OSP mantém para este ano suas ações pedagógicas destinadas às crianças da rede pública, com recursos da Secretaria Municipal de Educação. Trata-se do projeto ABC do Dó, Ré, Mi, em que estudantes visitam o Teatro do Engenho para um “showcerto” educativo e descontraído, e o Música nas Escolas, em que quartetos percorrem as escolas para demonstrar, na prática, como funciona a música erudita.

Em 2018 está prevista também a consolidação do projeto Pequena Grande Orquestra, que proporcionará inclusões social e cultural às crianças e adolescentes das regiões de alta vulnerabilidade social de Piracicaba, por meio de aulas individuais e coletivas de instrumentos de cordas friccionadas.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE