ONU- Bolsonaro ataca imprensa e leva índia a tira colo

Em um tom agressivo, em que atacou os governos de França, Venezuela e Cuba, o socialismo e o ambientalismo, o presidente Jair Bolsonaro abriu hoje a 74ª Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) com um discurso semelhante ao que permeou sua candidatura à Presidência, no ano passado. Bolsonaro não poupou nem mesmo a ONU. Em um discurso ideológico, o presidente apontou ações que classificou como ameaças à soberania do Brasil. 
Ele atacou “sistemas ideológicos de pensamento”, que estariam invadindo escolas, universidades, meios de comunicação e a “família”, sob a acusação de tentar subverter o sexo biológico das crianças. Em mais de 30 minutos, o presidente reafirmou sua oposição a iniciativas internacionais que se oponham à soberania brasileira na Amazônia e rechaçou ???tentativas de instrumentalizar a questão ambiental e políticas indigenistas??? em prol de interesses externos.
Bolsonaro ainda criticou a imprensa internacional pela publicação do que classificou como informações ???sensacionalistas??? sobre os incêndios na floresta e disse que é ???falácia??? afirmar que Amazônia é patrimônio da humanidade.
O chefe de Estado também dirigiu críticas diretas ao cacique Raoni Metuktire, do povo Caiapó, afirmando que ele não representa todos os indígenas do Brasil.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE