Ondas quer fim de ‘pedintes’ nos sinais

O presidente da Câmara Municipal de Americana, vereador Dr. Alfredo Ondas (PMDB), protocolou na secretaria da Casa um projeto de Lei em que propõe a proibição de atos e atividades que constituam perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos e pedestres realizados nos cruzamentos de vias urbanas, sinalizadas por semáforo ou não. A proposta também dispõe sobre o encaminhamento de população de rua e pessoas carentes, que estejam praticando tais atos, a entidades assistenciais.
De acordo com a propositura, ficam proibidas atividades como a distribuição de folhetos de propaganda ou similares, que não estejam autorizados pelo setor competente da administração pública municipal, a comercialização de mercadorias, a prestação de qualquer tipo de serviço e ações que configurem obstáculo ao trânsito ou pedido de contribuições financeiras. 
O projeto também estabelece que as pessoas que se enquadrem como população de rua que forem flagradas realizando qualquer uma das atividades descritas serão encaminhadas aos órgãos competentes para triagem e registro, cuidados higiênicos e alimentação.

De acordo com o autor, tais práticas já são proibidas pelo Código de Trânsito Brasileiro. ???Sendo ilegais as práticas de atos que gerem perigo ou obstáculo ao trânsito, o município não pode permitir e autorizar nas vias do trânsito que ensejem perigo para os pedestres, para os condutores e para os próprios executores de tais atividades???, aponta. 
Dr. Ondas destaca ainda os relatos recentes de pessoas que foram ameaçadas em seus veículos enquanto aguardavam o semáforo. ???Tais atividades, além do risco às pessoas e do obstáculo ao trânsito, podem ser realizadas, em algumas circunstâncias, por pessoas com interesses escusos que chegam a intimidar os pedestres e condutores???, acrescenta. 
???Temos verificado a crescente presença de pessoas nos cruzamentos do nosso município. Se nada for feito com rapidez, a tendência é que esse número continue aumentando, podendo gerar problemas de segurança como ocorre nas grandes cidades. Qualquer pessoa que esteja em situação carente deve receber amparo, devendo o município promover tal encaminhamento???, conclui o presidente do Legislativo. 
O projeto será encaminhado às comissões pertinentes e, não havendo impedimento legal para tramitação, será discutido e votado pelos vereadores em plenário, durante sessão solene.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE