OMS libera droga nova para ebola

da BBC- A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou o uso de um medicamento não testado em humanos para tratar pessoas infectadas com o ebola, cujo surto já matou mais de mil pessoas. Um painel do órgão considerou ético combater a epidemia do vírus com remédios e vacinas cujos efeitos colaterais e eficácia são desconhecidos, devido à escala da epidemia e o número de mortos.
A decisão foi anunciada após uma reunião de emergência da OMS em Genebra para discutir o assunto. O surto do ebola já deixou pelo menos 1.013 mortos na África Ocidental, segundo a OMS. Pelo menos 1.779 pessoas foram infectadas desde o início da epidemia, na Guiné, em fevereiro. “Devido às circunstâncias particulares desta epidemia, e com o cumprimento de certas condições, o painel chegou ao consenso de que é ético oferecer intervenções não comprovadas… como potenciais tratamento ou prevenção”, disse um comunicado da OMS.
O anúncio foi feito após a Libéria ter comunicado que usaria o medicamento Zmapp, da fabricante Mapp Biopharmaceutical, no tratamento contra o ebola. O remédio só foi testado em macacos e ainda não foi avaliado com segurança em seres humanos. A empresa disse que o remédio será distribuído gratuitamente. O Zmapp foi administrado em dois funcionários humanitários nos EUA que apresentam sinais de melhora.
Mas um padre espanhol infectado na Libéria e que estava sendo tratado em Madri com o remédio morreu. Miguel Pajares, de 75 anos, foi transferido da Libéria para a Espanha na semana passada com uma freira, que testou negativo para o vírus.Ele trabalhava em um hospital na capital, Monróvia, que foi fechado devido ao surto. Uma freira congolesa morreu no local no sábado, dias após o diretor da unidade, Patrick Nshamdze, também ter falecido.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE