Omar, sec. e vigilância discutem dengue com Unimed

O prefeito de americana, Omar Najar, se reuniu na tarde desta segunda-feira (6), com representantes da Unimed de Americana para tratar da dengue e do impacto da doença na cidade, e nos desafios do atendimento de pacientes tanto na rede pública quanto na privada. O principal objetivo do encontro foi estabelecer ações conjuntas que permitam ampliar a conscientização da população sobre as responsabilidades da população quanto à dengue e compartilhar experiências quanto ao atual quadro epidêmico da doença na cidade.
Participaram ainda da reunião o secretário da Saúde de Americana, Gleberson Miano; o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Antônio Donizete Borges; além dos secretários de Governo, Junior Barros; e Alex Niuri, de Negócios Jurídicos. Por parte da Unimed estiveram presentes o presidente do conselho administrativo, Eduardo Miranda; Gustavo Quintero, gerente de provimento de saúde; Elisângela Tribulato, diretora de provimento de saúde; Michelle Hatz, gerente do hospital Unimed.
“Os relatos da Unimed sobre tempo de espera, alto número de procura ao hospital e atendimentos não é novidade para nós, que também administramos um hospital, mas talvez não seja de conhecimento de todos. A dengue, nos relataram, provocou um aumento de 40% no fluxo do hospital Unimed, com um número alto de pacientes ao mesmo tempo, provocando aumento no tempo de espera, lotando os leitos e criando situações de improviso para o atendimento e medicação. O mesmo ocorre com o HM, nós não temos sofrido com ausência de profissionais, mas o número alto de pacientes tem provocado aumento na espera e uma série de dificuldades todos os dias”, disse o secretário de Saúde, Gleberson Miano.
A Prefeitura de Americana tem realizado por meio do PMCD (Programa Municipal de Controle da Dengue) trabalhos de nebulização em bairros por critérios epidemiológicos, considerando o período em que as pessoas infectadas apresentam os sintomas e, portanto, ainda podem transmitir a doença para outros mosquitos, que podem dar sequência no ciclo de transmissão. O prefeito, Omar Najar, destacou ainda, que a prefeitura vai intensificar nos próximos dias ações de conscientização para a doença e que espera unir forças com as instituições de saúde da cidade. “A dengue não é uma doença que escolhe vítimas e todos estão sujeitos a ela. A maior prova é a superlotação dos hospitais em Americana. Este é um momento para que todos possam agir em conjunto”, disse. 

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Siga-nos

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE